Você está aqui

O que fazemos

Médicos Sem Fronteiras leva cuidados de saúde a pessoas em necessidade de ajuda médico-humanitária em meio a conflitos armados, epidemias, desastres naturais, desnutrição e exclusão do acesso a cuidados de saúde.

Médicos Sem Fronteiras

 

Situações de emergência pedem resposta rápida, com atendimento médico especializado e apoio logístico, mas falhas crônicas no sistema de saúde local, como a escassez de instalações de saúde, de profissionais qualificados e a inexistência da oferta de serviços gratuitos para populações sem recursos financeiros, também podem motivar a atuação da organização. 

Independente, neutra e imparcial, MSF determina, de acordo com sua própria avaliação, onde, quando e como agir. Quando a atuação se dá em resposta a uma emergência repentina, como uma catástrofe natural, ela pode ser viabilizada entre 48 e 72 horas. Por trás da agilidade de MSF, está um sistema de logística extremamente eficiente: em 1980, a organização passou a utilizar kits personalizados e adaptados para cada contexto, que são pré-embalados e prontos para viagem e são constantemente aprimorados. Os kits contêm medicamentos, suprimentos e equipamentos básicos e atendem desde campanhas de vacinação até a montagem de um hospital inflável.

MSF também procura unir-se a grupos de pacientes para sensibilizar e, às vezes, pressionar os atores envolvidos – órgãos e instituições internacionais e a indústria farmacêutica – para que as populações que mais precisam tenham acesso a medicamentos de qualidade.

Visualize vídeos de nossas atividades

0:00

Resumo das principais atividades da organização médico humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras ao redor do mundo, em Novembro de 2016.

Nigéria – Centenas de milhares de deslocados famintos

Sudão do Sul – “Quem fará tudo isso no futuro?"

Tanzânia – O sofrimento dos refugiados burundineses

França – Menores desacompanhados estão abandonados

Malária – Os cinco maiores desafios no combate à malária

Afeganistão – Uma guerra em tudo, menos no nome

Projetos de Médicos Sem Fronteiras em cerca de 70 países