The MSF surgery team in Bangassou is operating a patient who suffers from inguino-scrotal hernia, on January 29, 2021

Na República Centro-Africana (RCA), Médicos Sem Fronteiras (MSF) oferece cuidados essenciais para comunidades devastadas por violência e turbulência política, por anos.

Três quartos da população vivem abaixo da linha da pobreza nesse país com a menor expectativa de vida do mundo (53 anos). Os conflitos contínuos forçaram milhares de pessoas a deixar suas casas e meios de subsistência, e a maioria das pessoas não tem acesso a cuidados de saúde por causa de barreiras financeiras, culturais e físicas.

Surtos de doenças

Em janeiro de 2020, o Ministério da Saúde declarou epidemia de sarampo em todo o país. Nossas equipes apoiaram as autoridades com campanhas de vacinação em sete distritos de saúde em todo o país. Também tratamos crianças com sarampo e outras enfermidades, como desnutrição.

A disseminação da COVID-19 afetou a capacidade de resposta de governos, doadores e outras organizações de saúde em muitos países, no entanto, na RCA, a insegurança generalizada, os obstáculos logísticos e o custo de implantação de uma campanha de vacinação em larga escala em regiões remotas do país tornaram a epidemia de sarampo mais desafiadora de ser controlada do que a pandemia. Embora a COVID-19 não tenha tido um impacto notável nas taxas de mortalidade nas instalações que apoiamos, ela afetou nossas atividades porque as restrições de movimento causaram atrasos na entrega de equipamentos e medicamentos e nas viagens de funcionários.

Em resposta à pandemia, nossas equipes realizaram atividades em todo o país, incluindo sessões de conscientização sobre medidas de proteção e distribuição de máscaras e sabão.

A malária continuou a ser uma questão importante no país em 2020. Nossas equipes lançaram campanhas de tratamento preventivo em Batangafo e Bossangoa destinadas a gestantes e crianças, especialmente durante a estação chuvosa, entre julho e outubro. Para atingir o número máximo de pessoas e garantir que as comunidades entendessem a importância das medidas de prevenção, mantivemos contato com líderes comunitários e transmitimos spots de rádio antes de distribuir os medicamentos. Foram realizadas visitas pós-distribuição para verificar se as pessoas haviam feito o tratamento e identificar quaisquer efeitos colaterais. Essa pesquisa mostrou que tanto a cobertura quanto a adesão eram altas. O número de casos de malária em 2020, em comparação com 2019, também foi menor, indicando a eficácia desse método.

Violência sexual

Na capital Bangui, expandimos nossos serviços de assistência materna — apoio vital em um país com uma das mais altas taxas de mortalidade materna do mundo — e abrimos um centro dedicado ao cuidado de vítimas de violência sexual, para consolidar as atividades que realizávamos em diferentes instalações na cidade desde 2017. Com o projeto Tongolo, oferecemos um programa completo de atendimento médico e psicológico, gratuito, acessível e inclusivo, com adaptações específicas para homens, crianças e adolescentes. Em nossas instalações, colaboramos com outras organizações que oferecem apoio às vítimas que desejarem prosseguir com ações legais ou que precisam de proteção ou suporte socioeconômico, proporcionando, assim, uma resposta holística à violência sexual.

Cuidados com HIV e medicina interna

O HIV/Aids ainda é uma das principais causas de morte na RCA. Em Bangui, implementamos um modelo integrador e progressivamente descentralizado de atendimento para pessoas vivendo com HIV avançado, no qual elas seguem o mesmo circuito de pacientes e são atendidas nas mesmas enfermarias que todos os demais. A equipe de saúde é treinada para enfrentar o estigma, a fim de garantir a igualdade de qualidade no atendimento a todos os pacientes. O teste de HIV está disponível em todas as instalações apoiadas por MSF no país. Muitos de nossos pacientes com HIV participam de grupos comunitários de antirretrovirais (ARV), que ajudam a mitigar o desafio de aderir ao tratamento. Os membros do grupo se revezam para pegar os medicamentos ARV uns dos outros, reduzindo, assim, os custos de transporte e a estigmatização.

Esforços contínuos foram feitos na medicina adulta com o desenvolvimento, em 2020, de clínicas de acompanhamento ambulatorial para doenças crônicas, particularmente em Paoua e Carnot, com o objetivo de melhorar a gestão de longo prazo de HIV/tuberculose e doenças não transmissíveis e integrar pacientes em um atendimento contínuo.

Violência prolongada e instabilidade

Inicialmente planejada para todo o país e finalmente restrita à província de Ouaka por causa da pandemia, realizamos uma pesquisa de mortalidade retrospectiva em razão da falta de estimativas confiáveis de mortalidade no país. Os resultados são alarmantes, com a taxa bruta de mortalidade para adultos acima do limite de emergência e a taxa de mortalidade de menores de 5 anos de idade logo abaixo do limite1 de emergência — principalmente por causa da malária e da violência. Também encontramos uma alta taxa de mortalidade materna e uma alta proporção de mortes de menores de 5 anos, sugerindo mau funcionamento geral do sistema de saúde e, particularmente, falta de acesso a cuidados de saúde reprodutiva de qualidade.

Os resultados dessa pesquisa nos lembram que a RCA está passando por uma crise de saúde de longa data e pouco divulgada. No final de 2020, houve uma rápida deterioração da situação humanitária e de segurança, ligada às eleições presidenciais e legislativas de 27 de dezembro. Confrontos violentos eclodiram em todo o país entre a recém-formada coalizão de grupos armados não estatais e as forças governamentais apoiadas por tropas estrangeiras. Esses eventos causaram um grande impacto em pessoas já traumatizadas por anos de guerra civil, além de novas ondas de deslocamento, tanto dentro da RCA quanto em países vizinhos.

Em 28 de dezembro, várias pessoas, incluindo um membro da equipe de MSF, ficaram feridas em um tiroteio em um caminhão de transporte público em Grimari. Todos foram levados a um hospital próximo para receber cuidados médicos urgentes. Enviamos imediatamente uma equipe médica de Bambari para fornecer assistência e encaminhamos cinco pacientes gravemente feridos, incluindo nosso colega, para o hospital no qual atendemos na cidade. Infelizmente, nosso colega não resistiu aos ferimentos.

Esse incidente é um dos muitos exemplos que demonstram como a RCA está entrando em novo ciclo de violência. Nossas equipes mantêm o apoio às autoridades de saúde, assegurando a continuidade do atendimento em todos os nossos projetos e lançando intervenções de emergência para ajudar os feridos e deslocados em áreas de conflito. Essas intervenções incluem clínicas móveis, doações de medicamentos, atividades de água e saneamento, distribuição de itens de socorro e treinamento para profissionais de saúde em contingência e em vítimas em massa. Profissionais de saúde treinados pelo programa MSF Academy são essenciais para fornecer apoio transversal em todo o país.

Dados referentes a 2020

766.900

Consultas ambulatoriais

77.900

Pessoas internadas

5.820

Pessoas em tratamento antirretroviral de 1ª linha

534.500

Pacientes de malária tratados

19.500

Partos assistidos

3.470

Sobreviventes de violência sexual que precisaram de tratamento

129.300

Vacinações contra o sarampo em resposta a surtos

8.710

Intervenções cirúrgicas

Filtrar por