Na Bolívia, Médicos Sem Fronteiras (MSF) continua a se concentrar na melhoria da saúde materna por meio de um projeto em El Alto, a segunda maior cidade.

A Bolívia tem a maior taxa de mortalidade materna da América do Sul e alguns dos piores indicadores de saúde de toda a região da América Latina e do Caribe.

Apesar dos investimentos em saúde pública nos últimos anos, o sistema nacional de saúde ainda não está equipado para enfrentar as necessidades da população. Em 2020, a situação piorou com o início da pandemia da COVID-19, especialmente em El Alto.

Desde 2019, MSF presta cuidados maternos em dois centros de saúde geral em El Alto. Esta cidade em rápido crescimento é o lar de quase um milhão de pessoas, a maioria das quais migrou do campo nos últimos anos. Em 2020, assistimos partos e, apesar da COVID-19, conseguimos manter serviços essenciais, como planejamento familiar e atendimento pré e pós-natal.

Como foram impostas restrições crescentes devido à pandemia, e as pessoas não conseguiram acessar aos centros, decidimos enviar equipes à comunidade para oferecer atendimento. Entre outubro e dezembro, realizamos 493 consultas de planejamento familiar nas comunidades.

Também realizamos consultas individuais de saúde mental, sessões de psicoeducação em grupo e atividades de promoção da saúde, incluindo palestras sobre saúde sexual e reprodutiva que atingiram quase 8.200 participantes. Além disso, nossas equipes ofereceram assistência médica e psicológica às vítimas de violência sexual e de gênero.

Para apoiar a resposta nacional à COVID-19, MSF treinou profissionais de saúde em medidas de prevenção e controle de infecções, detecção e tratamento. Também fornecemos medicamentos e equipamentos de proteção individual nos departamentos de La Paz e de Beni, nordeste do país.

Dados referentes a 2020

2.370

Consultas de pré-natal

90

Pessoas receberam tratamento por violência sexual

1.140

Consultas para serviços de contracepção

930

Partos assistidos

Filtrar por