Tratamento de TB em Eshowe, África do Sul
Foto: MSF/Tadeu Andre

Na África do Sul, Médicos Sem Fronteiras (MSF) apoiou a resposta à COVID-19, e simultaneamente continuou a prestar cuidados para pacientes com HIV e tuberculose (TB), vítimas de violência sexual e migrantes vulneráveis.

Para lidar com as consequências secundárias da COVID-19, que incluíram um acentuado declínio na demanda de serviços de saúde, adaptamos nossas atividades existentes de forma inovadora. Nosso projeto dedicado às vítimas de violência sexual no cinturão de platina da África do Sul garantiu que os serviços de saúde para elas permanecessem acessíveis por meio do fornecimento de aconselhamento por telefone e transporte em um momento em que os serviços públicos haviam cessado. Nossas equipes em Eshowe e Khayelitsha trabalharam para manter o diagnóstico e tratamento de HIV e TB através da distribuição em larga escala de kits de autoteste oral de HIV e assegurando que as unidades de saúde locais fizessem testes para COVID-19, HIV e TB ao mesmo tempo. A equipe entregou antirretrovirais (ARV) e medicamentos para outras doenças crônicas na casa dos pacientes ou nos pontos de coleta da comunidade, e forneceu cuidados domiciliares aos pacientes com TB resistente aos medicamentos (TB-DR).

Nossas equipes trabalharam em inúmeros abrigos para pessoas em situação de rua nas cidades de Tshwane e Joanesburgo, prestando cuidados médicos e de saúde mental, que em Tshwane incluíram a terapia de substituição de opioides. Durante a primeira onda de COVID-19, estruturamos, disponibilizamos equipe médica, e administramos um hospital de campanha dedicado à COVID-19 com 60 leitos num centro esportivo em Khayelitsha, tratando pacientes com COVID-19 moderada a grave em suas comunidades. Na segunda onda, apoiamos enfermarias dedicadas à COVID-19 de sete hospitais em três províncias.

Em 2020, MSF comemorou 20 anos consecutivos de operações, com marcos, que incluem o desenvolvimento dos primeiros programas de tratamento antirretroviral ARV nno continente e um ações bem-sucedidas para um tratamento mais curto e menos tóxico para TB-DR.

Dados referentes a 2020

18.400

Pessoas com HIV em tratamento antirretroviral de 1ª linha em programas apoiados por MSF

240

Pacientes internados por COVID-19

340

Pessoas iniciaram tratamento para tuberculose

320

Pessoas receberam tratamento por violência sexual

Filtrar por