Você está aqui

Tadjiquistão

Técnico de laboratório de MSF analisa amostra de escarro no hospital nacional pediátrico de tuberculose em Dushanbe, no Tadjiquistão. (Foto: Joosarang Lee/MSF)
Tadjiquistão
Paises em que MSF atua
No Tadjiquistão, Médicos Sem Fronteiras (MSF) trabalha com o Ministério da Saúde para melhorar o acesso ao tratamento de tuberculose (TB) e de HIV para crianças e suas famílias. 
 
Apoiamos a implementação de um projeto de tratamento pediátrico e familiar de TB em Duchambé, colocando o foco na TB resistente a medicamentos. As crianças são particularmente vulneráveis à TB, e as formas pediátricas da doença são muito difíceis de diagnosticar e tratar.
 
MSF e o Ministério da Saúde do Tadjiquistão desenvolveram um modelo de cuidado que é inovador e centrado no paciente, além de comprovadamente eficaz. Nossa abordagem integral inclui rastreamento de contato e exame, dosagem do medicamento ajustada à necessidade do paciente, para facilitar a ingestão, e monitoramento e gestão de eventuais efeitos colaterais. Nossas equipes também oferecem aconselhamento sobre adesão, terapia lúdica, educação para pacientes internados e apoio psicossocial e nutricional.
 
Temos trabalhado com o Ministério da Saúde para introduzir medicamentos mais novos, incluindo bedaquilina e/ou delamanida, bem como regimes de tratamento mais curtos: 20 pacientes iniciaram regimes de curta duração em 2018 e 30 iniciaram o tratamento com combinações de medicamentos mais novos.
 
Até o fim do ano, 262 pacientes – incluindo 206 com menos de 18 anos de idade  – haviam se beneficiado do tratamento como integrantes desse programa. Além disso, nossas equipes forneceram treinamento para 878 médicos, enfermeiros e profissionais de saúde e 26 voluntários da comunidade.
 
Também trabalhamos com o Ministério da Saúde no projeto de assistência pediátrico- familiar de HIV em Kulob, para detectar o HIV e iniciar o tratamento em crianças   e seus familiares. O projeto concentra-se no diagnóstico e tratamento de infecções oportunistas, na prevenção da transmissão de mãe para filho, na oferta de apoio psicossocial  e na implementação de controle de infecção para prevenir a propagação de doenças transmitidas pelo sangue. Em 2018, introduzimos com sucesso duas novas ferramentas para exame e detecção de HIV pediátrico, uma das quais foi adotada em todo o país, e treinamos 1.118 profissionais de saúde. Com o aumento de casos detectados, 26 novos pacientes pediátricos iniciaram tratamento.

MSF atua no país desde 1997.

Dados de 2018:
 

Pacientes que começaram o tratamento para TB
Pacientes que começaram o tratamento para TB resistente a medicamentos
220
110

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar