Você está aqui

Palestina

Cirurgiões do programa de cirurgia plástica reconstrutiva de MSF no hospital Dar Al Salam, em Gaza. (Foto: Laurie Bonnaud/MSF)
Palestina
Paises em que MSF atua

Na Palestina, MSF oferece atendimento psicológico na Cisjordânia e ajuda médica especializada para queimaduras e pacientes traumatizados na Faixa de Gaza.

Cisjordânia

MSF mantém programas de saúde mental, oferecendo apoio gratuito e confidencial nas províncias de Nablus, Qalqilya, Hebron, Belém e Ramallah, onde a ocupação contínua e a violência interna continuam impactando negativamente a saúde física e psicológica dos habitantes. As pessoas estão expostas a traumas diretos e indiretos, incluindo violência, incursões em suas casas e prisões de familiares.

Em novembro de 2017, MSF concluiu intervenções de saúde mental em Belém e Ramallah, e manteve os programas nas províncias de Nablus, Qalqilya e Hebron. As equipes também oferecem sessões de conscientização sobre saúde mental em vilarejos nas províncias de Nablus e Qalqilya. Atividades foram estendidas para cinco das áreas mais afetadas em Hebron, onde intervenções de saúde mental de longo prazo são conduzidas, envolvendo grupos da comunidade.

Essas atividades incluíam a psicoeducação sobre o gerenciamento de estresse, o estigma e a conscientização sobre saúde mental, além de consultas individuais para os necessitados.

Em 2017, 644 pacientes se beneficiaram de sessões de saúde mental, individuais e em grupo. Mais de 44% desses pacientes tinham menos de 18 anos de idade.

Em 2017, MSF fortaleceu sua parceria com o hospital Nablus Rafidia, oferecendo apoio psicológico aos pacientes internados na unidade de queimaduras e na enfermaria pediátrica, assim como a seus cuidadores, além de supervisionar a equipe médica.

Faixa de Gaza

Vários fatores contribuíram para a deterioração geral da situação socioeconômica em Gaza, incluindo o bloqueio de 10 anos imposto por Israel e os combates entre as várias autoridades palestinas. Mais da metade da população está desempregada, a eletricidade é restrita a algumas horas por dia, há falta de água potável e os movimentos de pessoas dentro e fora da Faixa são extremamente limitados, impedindo-as de procurar atendimento médico especializado.

A equipe de MSF trabalha em três clínicas em Gaza, oferecendo atendimento especializado para queimaduras e pacientes traumatizados, como curativos, fisioterapia e terapia ocupacional. Em 2017, 4.900 pacientes foram tratados, principalmente por queimaduras por acidentes domésticos; 62% desses pacientes tinham menos de 15 anos de idade.

Apesar da experiência técnica dos enfermeiros e fisioterapeutas de MSF, seu trabalho é dificultado pelo acesso limitado a analgésicos essenciais em Gaza. Para aliviar o sofrimento de pacientes queimados durante os procedimentos médicos mais dolorosos, MSF introduziu a técnica de sedação usando óxido nitroso misturado com oxigênio, conhecido como EMONO.

MSF ainda executa seus programas de cirurgia reconstrutiva em conjunto com o Ministério da Saúde para pacientes com queimaduras, traumas ou malformações congênitas. Em 2017, as equipes de MSF realizaram um total de 411 intervenções em 197 pacientes, 75% dos quais tinham menos de 18 anos de idade.

Os casos mais complexos que não podem ser tratados em Gaza são encaminhados para o hospital de cirurgia reconstrutiva de MSF na Jordânia. No entanto, devido a restrições administrativas, apenas seis dos 19 pacientes puderam ser encaminhados em 2017.

MSF realiza sessões sobre conscientização de queimaduras para escolas e associações de mulheres, aconselhando sobre prevenção de acidentes e treinamento de primeiros socorros.

MSF atua no país desde 1989.

 

Dados de 2017:

Consultas ambulatoriais
Consultas individuais de saúde mental
Intervenções cirúrgicas de grande porte
9.500
6.000
400

Notícias