Você está aqui

Malauí

Simbazako, 19 anos, faz uma radiografia para diagnosticar tuberculose no hospital distrital de Nsanje, onde MSF ajuda a melhorar o diagnóstico e o cuidado clínico para HIV e TB (Foto: Luca Sola)
Malauí
Paises em que MSF atua

O foco principal das atividades de MSF no Malauí continua a ser a melhoria dos cuidados para pacientes com HIV, particularmente adolescentes e outros grupos vulneráveis.

Desde a década de 1990, quando a epidemia de HIV atingiu o auge no país, o Malaui mostrou muitos avanços, mas ainda há trabalho a ser feito. Segundo a UNAIDS, a prevalência do HIV caiu de cerca de 14,2% em 2003 para 9,2% em 2016.
Em meados de 2017, 714.691 pessoas vivendo com HIV estavam em tratamento antirretroviral vitalício.

Contudo, o HIV continua a ser a principal causa de morte entre os adultos no Malaui e ainda ocorrem cerca de 28 mil novos casos a cada ano. O progresso feito depende predominantemente do financiamento internacional e há uma falta crítica de profissionais de saúde qualificados.

Focando o cuidado do HIV em adolescentes e pacientes com AIDS em Chiradzulu

Em Chiradzulu, MSF está concluindo a transferência de quatro anos de suas atividades relacionadas ao HIV para o Ministério da Saúde. Em 2016, estudos de MSF mostraram lacunas na detecção e no gestão em tempo hábil de pacientes que não responderam ao tratamento de HIV de primeira e segunda linha e revelaram que apenas 30% dos adolescentes estavam sob tratamento efetivo.

MSF está desenvolvendo atividades específicas destinadas a melhorar a gestão desses pacientes e sua adesão ao tratamento. Essas atividades incluem a criação de serviços abrangentes e multidisciplinares para adolescentes, pacientes que enfrentam dificuldades em permanecer no tratamento ou aqueles que não respondem ao tratamento.

Prevenção e tratamento precoce do câncer de colo do útero

O Malaui tem a maior taxa de câncer de colo do útero no mundo, com uma estimativa de 75 a cada 100 mil mulheres afetadas recentemente a cada ano. No entanto, apenas 10% a 20% das mulheres no país fazem exames prévios e a vacinação preventiva ainda não foi implementada. MSF está desenvolvendo um projeto abrangente na cidade de Blantyre e no distrito de Chiradzulu, incluindo diagnóstico e tratamento de lesões pré-cancerosas, vacinação contra o papiloma vírus humano, tratamento para câncer de colo do útero e cuidados paliativos.

Melhorando o tratamento do HIV e da tuberculose (TB) em Nsanje

Por meio do modelo “apoio ao distrito Nsanje para HIV e TB”, MSF está ajudando o subfinanciado serviço distrital de saúde a fortalecer sua coordenação, preencher lacunas críticas (por exemplo, com profissionais e suprimento de medicamentos) e melhorar os serviços de HIV e TB. Equipes de MSF auxiliam os profissionais de saúde do hospital de Nsanje e de 14 centros de saúde. Para reduzir a mortalidade relacionada ao HIV, ênfase especial é dada a pessoas que vivem com HIV avançado, desde a detecção precoce até a melhoria do atendimento no hospital de referência.

Atendimento integral para profissionais do sexo

Como parte de seu projeto transnacional, chamado “corredor”, ao longo das rotas de transporte entre Malaui e Moçambique, MSF oferece de forma abrangente serviços de saúde para HIV, TB e saúde sexual e reprodutiva para motoristas de caminhão e profissionais do sexo em clínicas de consulta rápida em Mwanza, Zalewa, Dedza e Nsanje.

Projeto prisional

MSF fornece um pacote de diagnóstico e cuidados básicos de saúde para o HIV e a tuberculose nas prisões de Chichiri e Maula, bem como contribui na melhoria dos serviços de água e saneamento para os presos. O modelo foi aceito como um exemplo de boas práticas. MSF solicita que o programa seja implementado em todo o país e que se busque superar a superlotação extrema e a desnutrição nas prisões.

MSF atua no país desde 1986.
 

Dados de 2017:

Pacientes que receberam tratamento antirretroviral de 1ª linha
Pacientes que receberam tratamento antirretroviral de 2ª linha
Pacientes que começaram o tratamento para TB
27.300
2.800
1.000

Notícias