Você está aqui

Líbia

Líbia
Paises em que MSF atua

Em 2020, refugiados, requerentes de asilo e migrantes presos na Líbia, devastada pela guerra, ficaram ainda mais vulneráveis com a escalada do conflito armado e a disseminação de COVID-19 por todo o país.
 

Embora alguns centros de detenção tenham sido fechados em 2020, milhares de homens, mulheres e crianças permaneceram detidos em condições insalubres e de superlotação, com pouco acesso a cuidados de saúde, alimentos e água potável insuficientes e sem possibilidade de distanciamento físico. Médicos Sem Fronteiras (MSF) continuou a prestar cuidados médicos e de saúde mental em centros de detenção em Trípoli, Khoms, Zliten, Zuwara e Zintan. Nossas equipes também trabalharam para melhorar o acesso à água e a outros serviços básicos, para reforçar as medidas de prevenção e controle de infecção da COVID-19 e para encaminhar os casos mais vulneráveis às agências de proteção.

Em fevereiro, um eritreu de 26 anos perdeu a vida quando um incêndio se iniciou no superlotado centro de detenção de Dhar El-Jebel, em Zintan. Oferecemos apoio psicológico aos sobreviventes do incêndio e distribuímos itens de primeira necessidade para repor itens perdidos, reiterando ao mesmo tempo nosso apelo para o fim da detenção arbitrária de migrantes e refugiados na Líbia.


A grande maioria dos cerca de 650 mil migrantes na Líbia vivia nas ruas, exposta a prisões e detenções arbitrárias, tráfico de pessoas, exploração e violência extrema. A maioria dos detidos estava em prisões clandestinas e depósitos administrados por contrabandistas de pessoas, e não em centros oficiais. Em Bani Walid, nossas equipes ofereceram cuidados gerais de saúde e encaminhamento médico aos refugiados e migrantes que escaparam do cativeiro e às vítimas de tortura e tráfico.
 

Ao longo de 2020, refugiados e migrantes foram submetidos a inúmeros ataques violentos; por exemplo, em pontos de desembarque onde a guarda costeira líbia devolve à força aqueles que tentam fugir. Em 28 de julho, nossas equipes responderam com atendimento médico e psicológico após um tiroteio num local de desembarque em Khoms, que deixou três adolescentes mortos.
 

O tratamento de tuberculose (TB) é outro foco de nossas atividades na Líbia. Nossas equipes trabalham em três unidades de TB: duas em Trípoli e uma em Misrata, uma clínica com 17 leitos que inauguramos em março.


Dados de 2020:

 

Consultas ambulatoriais
Consultas pré-natais
Pessoas iniciaram tratamento para tuberculose
16.800
3.030
250

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar