Você está aqui

Lesoto

Lesoto
Paises em que MSF atua

Após quase uma década de trabalho no Lesoto, Médicos Sem Fronteiras (MSF) repassou todos os seus projetos ao governo em novembro de 2015.

Lesoto é um país montanhoso, sem saída para o mar, com poucas estradas, onde muitos enfrentam barreiras no acesso a cuidados de saúde – por causa do custo do deslocamento até as instalações de saúde, mas também em decorrência da escassez de profissionais de saúde qualificados.

Durante o tempo em que atuou no país, MSF se concentrou principalmente na oferta de cuidados de saúde gratuitos para mulheres, bem como no planejamento familiar e no tratamento de HIV. A incidência de HIV no Lesoto é alta – o vírus afeta 27% das gestantes – e, somado à coinfecção por tuberculose, esse é um dos principais fatores que provocam a alta mortalidade materna.

Os serviços de planejamento familiar e os cuidados de pré e pós-natal foram oferecidos no hospital distrital de St. Joseph, que recebe apoio de MSF, em Roma, em seis clínicas de saúde nas planícies baixas e três clínicas na região remota de Semonkong.

No intervalo de um ano, durante o qual MSF cobriu todas as despesas de cuidados de pré-natal e dos partos no hospital de St. Joseph, o número de mulheres dando à luz na instalação aumentou 45%. Em 2015, a média mensal de partos realizadas ali foi de 130.

MSF também treinou e orientou profissionais locais dessas instalações na oferta de cuidados integrados para os pacientes que sofrem simultaneamente com o HIV e a tuberculose. Orientadores locais e profissionais de saúde comunitários iniciaram e acompanharam o tratamento antirretroviral (Tarv). O monitoramento de carga viral também foi ampliado, e orientadores leigos foram treinados para estimular a adesão dos pacientes e ajudá-los a entender a importância de seguirem o Tarv. Como resultado, no momento da saída de MSF, mais de 80% dos pacientes de primeira linha do Tarv tinham alcançado a supressão viral.

O Unicef assumiu a responsabilidade de financiar a oferta de cuidados maternos gratuitos no hospital de St. Joseph, e MSF continua a defender a implementação universal do atendimento de saúde materna gratuito no Lesoto.

MSF atua no país desde 2006.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar