Você está aqui

Iraque

A sala de operação do hospital Al-Wahda de MSF, em Mosul, durante uma operação (Ahmed Kaka/MSF).
Iraque
Paises em que MSF atua
Em 2020, a chegada da COVID-19 ao Iraque apresentou novos desafios para um país ainda se recuperando dos efeitos de anos de conflito e instabilidade.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) respondeu a inúmeras emergências de saúde em todo o Iraque em 2020, oferecendo cuidados a milhares de pessoas deslocadas pela guerra contra o grupo do Estado Islâmico, manifestantes feridos em violentos confrontos com as forças de segurança e pacientes com COVID-19. Também apoiamos o sistema nacional de saúde, que ainda se encontra nas fases iniciais da reconstrução, preenchendo lacunas nos cuidados de saúde essenciais.

Apoiar a preparação para emergências

As manifestações de massa que começaram no final de 2019 continuaram em 2020, levando MSF a lançar uma intervenção de emergência nas províncias de Najaf, Dhi Qar e Basra para responder ao aumento no número de pacientes com ferimentos relacionados à violência. Em Najaf, realizamos treinamento em planejamento para atendimento de vítimas em massa em três hospitais locais, a fim de ajudar a equipe a lidar com fluxos repentinos de pacientes. Em Nasiriyah, nossas equipes apoiaram o pronto-socorro do hospital Al Hussein, com treinamento em atendimento a traumas, focando-se em ferimentos graves e ressuscitação. As equipes em Basra ministraram treinamento sobre preparação para emergências a nível municipal, bem como treinamento em trauma para paramédicos, em colaboração com o Departamento de Saúde.

Resposta à COVID-19

Como muitas instalações de saúde danificadas nos últimos anos ainda têm que ser reconstruídas ou reabilitadas e devolvidas à sua plena capacidade, e há falta de profissionais médico especializados e de medicamentos, ficou imediatamente claro que o sistema de saúde teria dificuldades para enfrentar o aumento das necessidades e os desafios gerados pela pandemia. Portanto, decidimos manter nossas atividades médicas que salvam vidas, reforçando ao mesmo tempo as medidas de prevenção e controle de infecções, e implementamos procedimentos de triagem e encaminhamento para proteger nossos pacientes e equipe.

Em Bagdá, a cidade mais duramente atingida pelo vírus, apoiamos o hospital Ibn Al Khateeb, uma instalação administrada pelo Ministério da Saúde. Quando foi identificado como um dos três principais hospitais para cuidados de COVID-19 nos estágios iniciais da pandemia, enviamos uma equipe para treinar o pessoal médico na triagem de doentes e na prevenção e controle de infecções. Também apoiamos o hospital Al-Kindi da capital tratando pacientes com casos graves. No início da epidemia, nossa equipe trabalhava na unidade de cuidados respiratórios do hospital (que incluía leitos para doentes em terapia intensiva). No final do ano, abrimos nossa própria enfermaria de 24 leitos e, em seguida, gradualmente nos mudamos para uma enfermaria de 36 leitos numa ala especialmente construída para esse fim.

Também apoiamos a resposta ao surto em Mosul, na província de Ninewa, transformando temporariamente nossa unidade de cuidados pós-operatórios com 64 leitos no leste da cidade em um centro de tratamento da COVID-19 para casos suspeitos e confirmados. Em meados de novembro, abrimos uma unidade adicional de terapia intensiva de 15 leitos no hospital Al-Salam para oferecer cuidados avançados para doentes com formas críticas e graves do vírus.

Em outras instalações em Ninewa, bem como nas províncias de Erbil, Diyala, Kirkuk e Dohuk, realizamos sessões de treinamento, focando o controle de infecções. Além disso, montamos uma unidade de isolamento de 20 leitos e instalação de tratamento no campo de deslocamento de Laylan em Kirkuk, em preparação para um potencial pico de casos de COVID-19.

Cuidados de saúde essenciais para comunidades vulneráveis

No restante do país, continuamos a administrar serviços de saúde gerais e especializados em nossos projetos em andamento para pessoas deslocadas e/ou repatriadas e comunidades vulneráveis. Em todas as localidades, incluindo nossos centros de COVID-19, mantivemos nosso pronto-socorro e atendimento de saúde mental.

Como resultado da pandemia e do fechamento de clínicas privadas, nossas equipes de maternidade e pediatra ao oeste de Mosul e Sinuni viram um forte aumento na demanda por atendimento e internações.

Em Ninewa, fornecemos cuidados de emergência e intensivos, tratamento de queimaduras, fisioterapia e tratamento de saúde mental em nosso hospital em Qayyarah, até outubro, quando entregamos todas as nossas atividades aos hospitais públicos locais. Como parte do processo, treinamos funcionários e doamos suprimentos médicos e outros equipamentos. Até o mesmo período, no campo de deslocados de Qayyarah, MSF também ofereceu assistência médica geral, serviços de maternidade e tratamento e acompanhamento para doenças não transmissíveis, até que entregássemos nossas atividades a outra organização.

Também tivemos equipes trabalhando em centros de saúde geral nas cidades de Hawija e Al-Abasi, na província de Kirkuk, e em Sinsil Al-Muqdadiya, na província de Diyala, onde apoiamos serviços de maternidade, cuidados de saúde sexual e reprodutiva, tratamento para doenças não transmissíveis, promoção da saúde e atendimento de saúde mental. Nossos serviços gerais de saúde também estiveram disponíveis no campo Laylan (Kirkuk), até o seu fechamento, em novembro, e nos campos Alwand e Sinsil (Diyala), até agosto, quando MSF entregou estas atividades para o Departamento de Saúde e outras organizações.

Em Bagdá, MSF continuou a colaborar com o programa nacional de tuberculose (TB), com a introdução de um novo tratamento oral mais eficaz para TB resistente a medicamentos.

Devido ao surto de COVID-19, fomos forçados a suspender temporariamente nossas atividades no centro de reabilitação médica de Bagdá, onde as pessoas feridas em incidentes violentos ou acidentes recebem cuidados abrangentes, incluindo suporte de saúde mental. Contudo, conseguimos manter nosso apoio aos pacientes com fisioterapia online e consultas de saúde mental, usando aplicativos de chamadas à distância, e reiniciamos as atividades no final do ano.

Dados de 2020:

Consultas ambulatoriais
Atendimentos individuais de saúde mental
Partos assistidos
Intervenções cirúrgicas
Admissões em pronto-socorro
80.900
15.800
14.400
4.480
69.100

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar