Você está aqui

Afeganistão

Mãe com seu bebê recém-nascido na unidade neonatal do hospital distrital de Ahmad Shah Baba, na área de mesmo nome no subúrbio leste de Cabul. (Foto: Andrew Quilty/Oculi)
Afeganistão
Paises em que MSF atua

MSF concentrou-se em oferecer atendimento de emergência, pediátrico e materno no Afeganistão, que tem uma das taxas mais altas de mortalidade materno-infantil do mundo.

O conflito no Afeganistão intensificou-se em 2017, agravando ainda mais as já imensas necessidades médicas. O número de pessoas que procuram atendimento médico nos seis projetos mantidos por MSF em cinco províncias cresce constantemente. As equipes realizaram o parto de mais de 70 mil bebês em 2017, quase um quarto de todos os nascimentos assistidos por MSF no mundo.

Cuidados de trauma em Kunduz

Em 3 de outubro de 2015 – um dos dias mais sombrios da história de MSF – um ataque aéreo conduzido pelos Estados Unidos destruiu o centro de trauma de MSF na cidade de Kunduz, matando 42 pessoas, incluindo 14 membros de nossa equipe. Esse ataque a um centro médico deixou milhares de pessoas sem cuidados que salvam vidas, além de marcar, de forma indelével, MSF no Afeganistão e em todo o mundo. Recebemos grande apoio de nossos doadores e da população do mundo todo. O que ficou em jogo não foi apenas o trabalho de MSF em Kunduz, mas a capacidade de oferecer cuidados de trauma na frente de batalha em conflitos no mundo todo.

Após o ataque, MSF se envolveu em um período de reflexão interna e discussões intensas nos mais altos escalões e com todas as partes envolvidas no conflito. O objetivo era entender os limites da prestação de assistência ao trauma na frente de batalha e reduzir a probabilidade de ocorrência de tais ataques no futuro. Depois de um ano e meio de negociações, compromissos formais asseguraram que nossos profissionais, pacientes e hospitais ficariam protegidos contra eventuais ataques. Adicionalmente, MSF poderia oferecer assistência médica a qualquer pessoa que precisasse, independentemente de sua etnia, crenças políticas ou alianças.

A necessidade de cuidados médicos de trauma, que salvam vidas, além de serviços médicos gratuitos e de qualidade, continua extremamente alta em Kunduz. Embora saibamos que não haverá garantias plenas ao atuarmos em zonas de conflito ativo, acreditamos que os compromissos obtidos nos permitem retornar e gerenciar os riscos inerentes à prestação de assistência ao trauma nesse contexto. O retorno de MSF a Kunduz acontece lentamente. Ele foi iniciado em julho de 2017, com a abertura de um ambulatório para pacientes estáveis com pequenas queimaduras, feridas decorrentes de intervenções cirúrgicas prévias, pequenos traumas ou doenças como diabetes, que causam lesões crônicas na pele. MSF ainda mantém uma pequena clínica de estabilização de pacientes fora da cidade, no distrito de Chardara, e planeja abrir um novo hospital de trauma na cidade de Kunduz em 2019.

Crescente demanda médica em Cabul

Cabul, capital do Afeganistão, experimentou um enorme crescimento populacional na última década e os serviços públicos de saúde da cidade não têm capacidade para atender às necessidades de assistência médica. As pessoas continuam chegando à cidade, vindas de outras partes do país, fugindo da insegurança ou procurando oportunidades econômicas.

Desde 2009, MSF apoia o Ministério da Saúde Pública no hospital distrital de Ahmad Shah Baba, no leste de Cabul, que atende mais de 1,2 milhão de pessoas. MSF mantém os serviços ambulatoriais e de internação, com foco na saúde materna, incluindo atendimento pré e pós-natal e tratamento de emergência. MSF também atua  com assistência neonatal e pediátrica, cirurgia, nutrição, planejamento familiar, promoção da saúde e vacinação. A equipe de MSF trabalha nos serviços de laboratório e raio X do hospital, além de manter programas para pacientes com tuberculose (TB) e doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão e diabetes. Em 2017 o hospital realizou mais de 116 mil consultas ambulatoriais e internou mais de 2 mil pacientes por mês. Mais de 20 mil bebês nasceram no hospital, quase 60 por dia.

MSF apoia o Ministério da Saúde Pública para oferecer assistência materna 24 horas no hospital Dasht-e-Barchi, a única instalação para emergências e partos complicados num bairro onde vivem mais de 1 milhão de pessoas. MSF mantém as salas de pré-parto e parto, um centro cirúrgico para cesarianas e partos complicados, uma sala de recuperação, uma maternidade com 30 leitos e uma unidade neonatal com 20 leitos. Em 2017, a equipe de MSF prestou assistência a quase 16 mil partos, sendo um terço casos complicados. No fim do ano, MSF iniciou apoio a outro hospital da área, fornecendo profissionais, treinamento e medicamentos essenciais, a fim de aumentar a capacidade da instituição de oferecer serviços de maternidade.

Hospital de Boost, Lashkar Gah

Outra equipe de MSF trabalha no hospital da província de Boost em Lashkar Gah, capital da província de Helmand. A província é uma das áreas mais afetadas pelos conflitos ainda ativos e a insegurança impacta negativamente no acesso a cuidados de saúde, particularmente das pessoas que vivem em distritos fora da cidade. O hospital – um dos três únicos  que recebem transferências no sul do Afeganistão – tem 353 leitos e a taxa média de ocupação está próxima a 100%. Em várias ocasiões durante o ano, as internações excederam a capacidade. Em 2017, a equipe prestou assistência a 11 mil partos e realizou mais de 90 mil consultas de emergência. Quase 3.500 crianças foram tratadas de desnutrição grave, 40% a mais do que em 2016.

Hospital maternidade de Khost

Desde 2012, MSF mantém a maternidade de Khost, no leste do Afeganistão, oferecendo um ambiente seguro para as gestantes darem à luz 24 horas por dia. O número de nascimentos cresce constantemente, sendo que a equipe assistiu quase 23 mil nascimentos em 2017. MSF também apoia cinco centros de saúde nos distritos periféricos da província, aumentando sua capacidade de gerenciar os partos normais para que o hospital possa se concentrar em gestações complicadas. Além de fortalecer o sistema de encaminhamento para casos complicados, esse apoio inclui suprimentos médicos, treinamento de pessoal e assistência financeira para recrutar obstetrizes, além de novos prédios para maternidade em duas das instalações.

TB resistente a medicamentos (TB-DR) em Kandahar

Em 2017, os primeiros pacientes no programa de TB-DR de MSF em Kandahar completaram com sucesso o tratamento e receberam alta. Desde o início do projeto, 41 pacientes com TB-DR foram diagnosticados e 13  incluídos numa terapia inovadora que reduz o tratamento de pelo menos 20 meses para apenas nove. O tratamento mais curto produz menos efeitos colaterais e melhora a qualidade de vida dos pacientes. O projeto tem um laboratório e instalações para acomodar pacientes durante o tratamento em Kandahar. MSF também oferece apoio ao hospital regional de Mirwais e organiza treinamento para outras instituições, a fim de melhorar a detecção de TB, incluindo casos sensíveis a medicamentos.

 

Dados de 2017:

Consultas ambulatoriais
Partos assistidos
Intervenções cirúrgicas de grande porte
266.500
70.500
6.900

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar