Refugiados na Sérvia
Foto: Paul Hansen/Dagens Nyheter

De janeiro a março, Médicos Sem Fronteiras (MSF) administrou uma clínica na capital sérvia, Belgrado, oferecendo assistência médica geral, serviços de saúde mental e apoio social para pessoas vulneráveis. Também fornecemos cuidados gerais de saúde e mental a migrantes que chegavam à Bósnia e Herzegovina. Em ambos os locais, nossas equipes ofereceram atendimento a vítimas de violência física supostamente perpetrada por guardas de fronteira e autoridades croatas e húngaras. Também prestamos assistência a pessoas cuja saúde foi afetada por condições de vida precárias, lacunas significativas na assistência médica e falta de alimentos, abrigo, roupas limpas e instalações de higiene.

Nos primeiros meses do ano, a pandemia da COVID-19 levou a extensos bloqueios na região, o que impactou nossas atividades e as pessoas a que estávamos ajudando. Com as temperaturas caindo e o número de casos da COVID-19 aumentando, os migrantes que viviam fora do sistema oficial de acomodação foram transferidos para campos, onde foram forçados a permanecer.

Em dezembro, retornamos à região para prestar atendimento através de clínicas móveis às pessoas presas perto das áreas de fronteira e às vítimas de violência.

Dados referentes a 2020

3.460

Consultas ambulatoriais

180

Pessoas receberam tratamento por violência física intencional

140

Atendimentos individuais de saúde mental

Filtrar por