Em 2020, a COVID-19 exacerbou a crise de saúde na Palestina causada pela ocupação contínua da Cisjordânia e o bloqueio da Faixa de Gaza.

Gaza

O sistema de saúde em Gaza foi paralisado pelo bloqueio israelense de 10 anos e, mesmo antes da pandemia de COVID-19, estava lutando para atender às necessidades dos pacientes, devido à grave escassez de equipamentos e suprimentos médicos essenciais.

Médicos Sem Fronteiras (MSF) manteve o atendimento ortopédico no hospital Al-Awda, no Norte, e cuidados pós-operatórios, para crianças e adultos, em nossas clínicas ambulatoriais. O atendimento incluiu fisioterapia e aconselhamento em saúde mental para ajudar os pacientes através dos longos e dolorosos processos de tratamento. Também realizamos vários projetos em Gaza dedicados ao tratamento de infecções ósseas causadas por traumas violentos. Em 2020, abrimos um novo projeto no hospital Nasser, ao sul.

Apoiamos as equipes do Ministério da Saúde no Hospital Geral Europeu quando a pandemia da COVID-19 irrompeu, doando concentradores de oxigênio e oferecendo treinamento em gestão de oxigênio, suporte ao paciente e terapia intensiva.

Cisjordânia

Para apoiar os serviços de saúde sobrecarregados em Hebron durante a pandemia, MSF ofereceu assessoria técnica e treinamento à equipe do hospital sobre equipamentos de proteção individual (EPI), gestão de resíduos infecciosos, controle de prevenção e infecção, oxigenoterapia e tratamento intensivo nos hospitais Dura e Alia, duas unidades de saúde que tratam pacientes com COVID-19.

A ocupação e a violência associada continuam a ter impacto profundo na saúde mental dos palestinos. Nossas equipes ofereceram apoio psicológico em Hebron, Nablus e Qalqilya, adaptando as atividades para responder às necessidades relacionadas à COVID-19, com aconselhamento remoto por telefone, substituindo temporariamente as sessões de apoio presencial. Aumentamos nossos serviços para tratar pacientes com COVID-19 e suas famílias, distribuímos kits de higiene e EPIs, incluindo máscaras faciais, e realizamos atividades de promoção da saúde nas comunidades de maior risco.

No final de 2020, iniciamos a gestão de clínicas móveis, oferecendo cuidados de saúde em comunidades remotas no sul do distrito de Hebron.

Dados referentes a 2020

87.300

Consultas ambulatoriais

2.650

Intervenções cirúrgicas

Filtrar por