Assistência a pessoas em vulnerabilidade após enchetes no Irã
Foto: Sacha Petiot-Smigieski/MSF

Desde 2012, Médicos Sem Fronteiras (MSF) presta serviços médicos a grupos vulneráveis no Irã, incluindo usuários de drogas, refugiados afegãos e desabrigados, que são frequentemente excluídos dos serviços de saúde.

O Irã acolhe oficialmente 950 mil refugiados afegãos e 28 mil iraquianos. Além dos refugiados, há cerca de 2,5 milhões de afegãos residindo no Irã, incluindo portadores de passaporte e afegãos sem documentos.1 Para eles e para outros grupos marginalizados, tais como os desabrigados, a comunidade étnica Ghorbati e usuários de drogas (cujo número oficial é estimado em 2,8 milhões – 3,5% da população), obter assistência médica é uma luta, apesar da promessa do governo de implementar uma cobertura universal de saúde.

Em 2020, no sul de Teerã, MSF continuou a oferecer cuidados abrangentes a estes grupos vulneráveis com risco elevado de doenças infecciosas, através de uma unidade de saúde e uma clínica móvel. Os serviços incluem consultas médicas, testes para doenças transmissíveis (HIV, tuberculose, hepatite B), tratamento para infecções sexualmente transmissíveis, como sífilis, encaminhamentos a especialistas, cuidados pré e pós-natal e planejamento familiar. Oferecemos também testes e tratamento para hepatite C, a infecção mais comum entre usuários de drogas no Irã, e suporte de saúde mental.

Em Mashhad, a segunda maior cidade do Irã, nossas clínicas móveis oferecem serviços semelhantes para refugiados, comunidades anfitriãs e residentes de um abrigo para mulheres. Também trabalhamos em uma clínica fixa no distrito de Golshahr, onde vivem 80% dos afegãos em Mashhad. Em 2020, ampliamos estas atividades a 11 campos de usuários de drogas em remissão.

O Irã foi fortemente afetado pela pandemia da COVID-19 em 2020. Durante o pico inicial, começamos os preparativos para montar uma unidade de tratamento de campanha com 50 leitos em Isfahan para apoiar um hospital local. Pouco depois da chegada do equipamento e da equipe, a aprovação para a montagem da unidade foi revogada. Como não foi possível montá-la em nenhum outro lugar do país, o equipamento foi exportado para o nosso projeto em Herat, no Afeganistão.

Dados referentes a 2020

29.500

Consultas ambulatoriais

6.060

Atendimentos individuais de saúde mental

190

Pacientes iniciaram tratamento para hepatite C

Filtrar por