Você está aqui

Tanzânia

(Foto: Erwan Rogard)
Tanzânia
Paises em que MSF atua
Médicos Sem Fronteiras (MSF) continua sendo o principal provedor de saúde para quase 100 mil refugiados burundineses no campo de Nduta, noroeste da Tanzânia.
 
Até o fim de 2018, a Tanzânia recebia 326.942 refugiados do Burundi e da República Democrática do Congo,1 a maioria em três campos: Nyarugusu, Nduta e Mtendeli.
 
Em Nduta, mantemos um hospital com 151 leitos e quatro postos de saúde, além de atividades de promoção de saúde, por meio de uma rede de agentes comunitários de saúde. Os serviços ambulatoriais incluem cuidados materno-infantis, apoio nutricional, cuidados de saúde mental e tratamento para sobreviventes de violência sexual e de gênero. Em 2018, também reabilitamos a sala de cirurgia e a sala de esterilização do hospital do distrito de Kibondo e doamos equipamentos especializados, para possibilitar cirurgias que salvam vidas tanto dos refugiados quanto da comunidade local.
 
A malária continuou sendo um grande problema médico no campo de Nduta, particularmente durante a estação chuvosa.
Temos realizado atividades abrangentes de prevenção e controle da doença desde 2016, incluindo o uso de larvicida biológico e a distribuição em massa de redes mosquiteiras tratadas com inseticida de segunda geração. Essas medidas mostraram-se eficazes, reduzindo o número de casos em mais da metade em nossas instalações em 2018.Em março, os governos do Burundi e da Tanzânia e a Agência da ONU para Refugiados, o Acnur, confirmaram seu compromisso de facilitar o repatriamento voluntário de mais de 70 mil refugiados burundineses até o fim do ano, adicionando mais um elemento de incerteza na vida de muitos deles.
 
Nossas equipes em Nduta registraram um aumento significativo nas necessidades de saúde mental entre os refugiados, sendo depressão e ansiedade os principais diagnósticos, bem como transtornos psiquiátricos. Além da sensação de
desamparo sobre o que o futuro reserva, muitos pacientes relataram ter sofrido experiências traumáticas e perdido familiares ou amigos.

MSF atua no país desde 1993.

Dados de 2018:
 

Consultas ambulatoriais
Pacientes de Malária tratados
Partos assistidos
332.600
67.500
6.450

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar