Você está aqui

Coronavírus

Coronavírus

Mais de 200 países já relataram casos do Covid-19, a doença provocada pelo coronavírus. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o surto como uma pandemia, que é uma epidemia que ganha escala global.

O coronavírus é um novo vírus contagioso e ainda há muito a ser descoberto sobre ele. Ao contrário daqueles que causam a gripe comum, não há pré-imunidade conhecida, vacina ou tratamento específico e presume-se que todas as pessoas sejam suscetíveis a ele. Médicos Sem Fronteiras (MSF) está muito preocupada com como a pandemia do Covid-19 afetará a população de países com sistemas de saúde já frágeis. A sobrecarga dos sistemas de saúde vem se mostrando um dos maiores impactos da nova doença, mesmo em países com estruturas médicas robustas. Em países com estruturas fragilizadas por falta de investimento ou conflitos, como as regiões em que MSF atua, o peso sobre as equipes e instalações médicas pode ter resultados ainda mais devastadores.

Causa

Os coronavírus são uma grande família de vírus que causam doenças que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV).

 

O Covid-19 é a doença do coronavírus provocada pela nova cepa descoberta em 2019, que não havia sido identificada anteriormente em seres humanos.

Prevenção

As principais recomendações para impedir a propagação do vírus incluem lavagem regular das mãos; cobrir boca e nariz com a parte interna do cotovelo ou com lenço descartável ao tossir e espirrar; e evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas gripais.

Vídeos

Como se prevenir do Coronavírus

A médica de MSF Junia Cajazeiro explica em 1 minuto o que você precisa saber para se proteger contra a doença.

Sintomas

Sinais comuns da infecção incluem febre e tosse seca e, em menor proporção, sintomas respiratórios, dores no corpo e incômodo na garganta. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não se sentem mal. Cerca de 80% se recuperam sem precisar de tratamento especial e 1 em cada 6 pessoas que contraem o coronavírus fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. Pessoas idosas e que têm problemas crônicos, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver a forma grave da doença. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar orientação médica.

Tratamento

Não há nenhum tratamento específico com medicamentos antivirais para o coronavírus. O tratamento se baseia no alívio dos sintomas.

Atividades

As atividades de MSF no Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Boa Vista e Manaus) são voltadas, principalmente, para pessoas em situação de rua, migrantes e refugiados, indígenas, usuários de drogas e idosos. Essa população, que já se encontrava em estado de grande vulnerabilidade mesmo antes da pandemia, enfrenta agora uma situação ainda mais grave.

São Paulo
O trabalho em São Paulo, iniciado em 1º de abril, contempla a realização de consultas médicas para pessoas em situação de rua para detecção de casos suspeitos de COVID-19 e triagem com encaminhamento dos doentes em estado moderado para centros de isolamento e os em estado grave para hospitais. Também são oferecidas orientações de higiene e distanciamento social àqueles com sintomas, para tentar evitar a disseminação do novo coronavírus. Os atendimentos acontecem em locais da região central de São Paulo por onde circula a população mais vulnerável.

No final do mês de abril, MSF começou a realizar atendimento médico de casos moderados da doença em centros de tratamento construídos pela prefeitura especialmente para acolher pessoas em situação de rua (Pelezão e Bacelar). A possibilidade de esta população poder contar com locais para isolamento e tratamento é essencial para conter a disseminação da doença e dar alguma possibilidade de acesso a cuidados de saúde aos que estão à margem do sistema.

Rio de Janeiro
MSF também iniciou no mês de abril atividades no Rio de Janeiro, com foco na população mais vulnerável. Assim como em São Paulo, equipes de MSF estão realizando ações de promoção de saúde e triagem em locais frequentados pela população em situação de rua.

Também estão sendo realizados treinamentos de controle e prevenção de infecções para profissionais de saúde que vão atuar nos hospitais de campanha que estão sendo instalados na cidade.


Amazonas
Nosso trabalho em Manaus busca reforçar a estrutura de atendimento de pacientes graves e moderados de COVID-19, além de atuar com detecção de casos e promoção de saúde em abrigos para a população em situação de rua, migrantes e indígenas. No final do mês de maio, iniciamos a implantação de 12 leitos de UTI e 36 para casos moderados no hospital 28 de Agosto, em Manaus. Além disso, estamos construindo junto com organizações e lideranças indigenistas um plano para atuar em áreas remotas do interior do estado. Também realizamos treinamento de profissionais de saúde de hospitais que atuam no combate à pandemia.

Boa Vista
Na capital do estado de Roraima, Boa Vista, estamos adaptando as ações de nosso projeto para colaborar com os esforços de combate à doença. Estamos presentes ali desde o fim de 2018 com ações de reforço ao sistema de saúde local em função do aumento da demanda com a presença de migrantes e refugiados venezuelanos na cidade. Com a chegada da COVID-19, passamos a fazer triagem de pacientes em locais frequentados pelo migrantes, como abrigos informais. Estão em curso atividades para melhorar as condições de higiene e acesso à água para a população que vive nestes locais, com promoção de saúde e distribuição de kits de higiene.

Ainda tem dúvidas?

Para obter mais informações, visite nosso site exclusivo sobre a doença.

Leia mais sobre