Você está aqui

Uganda: MSF responde a um surto de Ebola

31/07/2012
Ao menos 14 pessoas já morreram desde o dia 28 de julho, quando foi confirmado o surto da doença

Uma equipe de emergência da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está em Kigadi, no distrito de Kibaale, Uganda, para ajudar a combater um surto de ebola. Outras equipes da organização também estão monitorando a situação.

O surto da doença, confirmado pelo governo de Uganda no dia 28 de julho, já matou pelo menos 14 pessoas, e estima-se que pelo menos outras 20 estejam infectadas.

Para MSF, a prioridade é identificar e cuidar das pessoas que foram infectadas, bem como as que tiveram contato com elas, e garantir o bom funcionamento dos serviços médicos de emergência. As equipes também vão trabalhar para localizar os focos do vírus e como ele está se alastrando, além de isolar as pessoas infectadas para limitar a transmissão da doença.

“É muito importante reagir rapidamente para encontrar o foco da doença e isolá-lo o mais rapidamente possível”, disse Olimpia de la Rosa, coordenadora da emergência de MSF para o surto de ebola em Uganda. “Também precisamos oferecer cuidados às pessoas que prestam assistência aos infectados, dando apoio e trabalhando junto às equipes médicas ugandenses que estão lutando para impedir o alastramento do vírus.”

O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e outros fluidos corporais, ou até mesmo com as roupas usadas por uma pessoa infectada, e se espalha muito rapidamente. O vírus foi identificado pela primeira vez em 1976, na província sudanesa de Equatoria Ocidental e no Zaire (atual República Democrática do Congo). Medidas rigorosas de controle da infecção são essenciais para impedir o alastramento do vírus.