Você está aqui

MSF combate surto de cólera na Somália

05/04/2007
Atualmente, cerca de 150 pacientes com suspeita de estarem com a doença estão sendo tratados. Entre 15 e 50 novas internações são registradas por dia

Médicos Sem Fronteiras está tentando controlar um surto de cólera na cidade de Gal Hareeri, na região somali de Galgaduud. Garantir o acesso aos pacientes tem sido um grande desafio logístico devido às tensões entre os clãs distribuídos ao longo das principais estradas. Gal Hareeri é um dos vários lugares na Somália onde o cólera foi detectado nas últimas semanas.

Desde o dia 21 de março, MSF está tratando de pacientes com cólera em Gal Hareeri. Na cidade vivem cerca de nove mil pessoas.

"Duas pessoas tiveram exames com resultados positivos para cólera e estamos esperando por resultados de mais testes", afirmou Dave Michalski, chefe de missão de MSF na Somália, durante sua visita a Nairóbi, no Quênia, depois de visitar um centro de tratamento de cólera.

"Atualmente, estamos tratando cerca de 150 pacientes com suspeita de cólera e temos entre 15 e 50 novas internações por dia. No total, em um período de apenas duas semanas, nós tratamos 300 pacientes", contou Michalski.

Suprimentos foram enviado para a cidade de Guri El, que tem uma pista de decolagem e onde MSF administra um hospital. De lá, leva-se 17 horas de carro para chegar a Gal Hareeri. Devido às tensões entre os clãs ao longo da estrada, uma estrada mais curta, pela qual a viagem duraria apenas cinco horas, não pode ser usada.

MSF conseguiu agora um novo acordo para enviar por avião novos suprimentos para a cidade vizinha de El Bur.

"O apoio à comunidade é um fator-chave que vai permitir que o trabalho médico melhore", afirmou Michalski. "A equipe está informando à comunidade que estamos aqui em Gal Hareeri para oferecer tratamento", acrescentou a coordenadora operacional baseada em Bruxelas, Sonia Peyrassol. "No momento, não sabemos quantas pessoas estão doentes e morrendo em suas casas. A maioria dos nossos pacientes são da cidade de Gal Hareeri, mas a equipe também está atendendo pacientes das cidades vizinhas".

Pacientes com cólera apresentam ânsia de vômito e diarréia, que resultam em desidratação severa. O tratamento é feito à base de rehidratação dos pacientes, que pode ser feito com soro caseiro (solução de açúcar e sal ingerida) via oral ou, nos casos mais severos, com injeções intravenosas do mesmo líquido.

Sem tratamento, cerca de 50% das pessoas morrem devido à doença. O índice de mortalidade entre os pacientes de MSF é baixo: entre os dias 25 e 28 de março, cinco pacientes no centro de tratamento morreram.

A equipe de MSF em Gal Hareeri é formada por um coordenador de terreno, um logístico, três enfermeiros, um profissional clínico e um especialista em água e saneamento. Nos próximos dias, mais profissionais chegarão ao local.