Você está aqui

Iraque: MSF suspende atividades em Basra devido à crescente insegurança

15/08/2003
Grupos armados em Basra não respeitam a diferença entre ações militares e humanitárias e aumenta o número de ataques aos estrangeiros, principalmente jornalistas e profissionais de ajuda humanitária. MSF permanece trabalhando em outras áreas do Iraque.

Devido à crescente insegurança em Basra, no Iraque, Médicos Sem Fronteiras (MSF) decidiu retirar da cidade os profissionais de ajuda humanitária que trabalham para a organização. A equipe de MSF foi deslocada para o vizinho Kuwait e deve rever imediatamente os programas e as opções para o futuro.

A retirada aconteceu após uma série de bombardeios e ataques de granada com o objetivo inicial de atingir as forças de coalizão. Os ataques também estão sendo feitos em lugares públicos e os estrangeiros e símbolos da presença estrangeira, como jornalistas e profissionais de ajuda humanitária, também vêm sendo alvo de ataques.

Profissionais de saúde iraquianos estão sendo cada vez mais atingidos, ameaçados e mesmo sofrendo seqüestros para pagamento de resgates. Há poucas semanas, um profissional de ajuda humanitária do Comitê Internacional da Cruz Vermelha foi morto durante um ataque ao carro da organização.

A crescente insegurança e o número elevado de ataques e ameaças contra profissionais de ajuda humanitária é uma indicação clara de que a diferença entre as ações militares e humanitárias não está sendo respeitada pelos grupos armados em atividade no país.

Por causa do perigo eminente para os profissionais de MSF em Basra, eles foram retirados da cidade. No entanto, MSF permanece no Iraque, trabalhando em outras áreas do país.

Leia mais sobre