Você está aqui

Iraque: equipes de MSF expandem atividades no distrito de Tal Afar

31/03/2017
Em 2016, MSF abriu uma clínica de maternidade em Tal Maraq, à qual adicionou uma ala pediátrica e uma unidade de estabilização para casos graves

Foto: Louise Annaud / MSF

No distrito de Tal Afar, a noroeste de Mossul, a falta de unidades médicas em funcionamento está impedindo a população de ter acesso a cuidados de saúde. A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) expandiu suas atividades na região, abrindo uma maternidade em outubro de 2016 e, recentemente, uma unidade de estabilização e uma ala pediátrica no vilarejo de Tal Maraq.

MSF começou a trabalhar na região em 2015 porque muitas instalações médicas estavam completamente destruídas, e as que ainda funcionavam careciam de materiais básicos, medicamentos e recursos humanos. Os locais não tinham condições de oferecer cuidados médicos à população.

“A região está visivelmente afetada pelo conflito”, diz Andrew Cullen, coordenador de projeto de MSF. “Alguns lugares continuam intocados, enquanto outros estão completamente destruídos. Nos últimos 18 meses não ocorreram confrontos na região, mas a população tem muita dificuldade em acessar cuidados de saúde.”

Nessa região, as pessoas devem viajar mais de 100 quilômetros até as áreas urbanas de Dohuk e Zakho para encontrar atendimento médico especializado. Uma viagem longa não só é muito cara para a maioria das pessoas, mas também impossível para muitas delas. Como consequência, as emergências médicas podem se tornar críticas.

“Começamos a oferecer cuidados médicos por meio de clínicas móveis. Então identificamos a necessidade de assistir mulheres grávidas durante seus partos. Quando tivemos que encaminhar casos críticos para outros hospitais para cirurgias, por exemplo, entendemos o que as pessoas precisavam enfrentar para chegar até o hospital mais próximo. A necessidade de uma unidade estabilização e de cuidados de emergência era óbvia”, diz Andrew Cullen.
Equipes móveis de MSF mantêm clínicas em três vilarejos do distrito de Tal Afar desde janeiro de 2015, oferecendo cuidados gerais de saúde, assistência de saúde mental, consultas de saúde sexual e reprodutiva e tratamento para doenças crônicas. Em outubro do ano passado, MSF expandiu suas atividades e abriu uma maternidade em Tal Maraq. Da inauguração da clínica até fevereiro deste ano, as equipes assistiram mais de 500 partos, e houve um número semelhante de transferências de emergência para Zakho.

Em março de 2017, MSF adicionou um departamento de internação para casos pediátricos (crianças com menos de 12 anos de idade) no mesmo prédio, além de uma unidade de estabilização para adultos que correm risco de vida. Isso é uma antecipação a um potencial influxo de pessoas fugindo de bombardeios nas cidades de Mossul e Tal Afar, e também uma tentativa de enfrentar a atual falta de instalações de saúde secundárias na região.

 “O plano original era abrir somente uma maternidade”, diz Ileana Boneschi, coordenadora de saúde sexual e reprodutiva em Tal Maraq. “Porém, com a sala de estabilização e o departamento pediátrico de internação, a instalação está se transformando em um hospital de verdade.”

MSF trabalha sem interrupções no Iraque desde 2006. A fim de assegurar sua independência, MSF não aceita doações de qualquer governo, instituição religiosa ou agência internacional para seus projetos no Iraque, contando somente com doações privadas de todo o mundo para realizar seu trabalho. Hoje, MSF conta com mais de 1.600 profissionais no Iraque.