Você está aqui

4 doenças negligenciadas que afetam milhões de pessoas todos os anos

12/11/2020
Populações de países menos desenvolvidos são as mais impactadas
4 doenças negligenciadas que afetam milhões de pessoas todos os anos

Foto: Jan-Joseph Stok

Doenças negligenciadas afetam milhares de pessoas, principalmente populações vulneráveis em países em desenvolvimento. Os métodos de diagnóstico e tratamento dessas doenças são antigos e inadequados e demandam investimento em pesquisa e desenvolvimento para se tornarem mais simples e efetivos. MSF se esforça para apoiar as comunidades que sofrem com essas doenças.

Conheça 4 doenças negligenciadas que afetam milhões de pessoas:

1. Doença de Chagas

A doença de Chagas (DC) é endêmica em 21 países da América Latina e estima-se que mais de 90% dos infectados desconhecem que estão com ela por falta de acesso ao diagnóstico. É uma doença causada por um parasita e, anualmente, afeta cerca de 8 milhões de pessoas, matando mais de 12.500. MSF trabalha para conscientizar e alertar sobre as necessidades de milhares de vidas afetadas pela doença.

Foto: Consuelo Pagaza/MSF

2. Leishmaniose Visceral

Também chamada de calazar, é uma doença tropical parasitária transmitida por picadas de certos tipos de moscas arenosas. Dos cerca de 50 mil a 90 mil casos anuais, 90% ocorrem no Brasil, Etiópia, Índia, Quênia, Somália, Sudão do Sul e Sudão, onde a doença é endêmica. O calazar é caracterizado por febre, perda de peso, aumento do fígado e baço, anemia e deficiências do sistema imunológico. MSF tratou 1.970 pessoas com calazar em 2019.

Foto: Halla Osman/MSF

3. Hepatite C

Estima-se que 71 milhões de pessoas no mundo estejam infectadas com a hepatite C crônica. A doença mata em média 400 mil pessoas por ano e 72% delas vivem em países de renda baixa ou média. A hepatite C também é uma das principais coinfecções que afetam pessoas que vivem com HIV/Aids. MSF iniciou o tratamento para a hepatite C para 10 mil pessoas em 11 países em 2019.

Foto: Jan-Joseph Stok

4. Doença do sono

Comumente conhecida como doença do sono, a Tripanossomíase Humana Africana é uma infecção parasitária transmitida por moscas tsé-tsé. A infecção ataca o sistema nervoso central, causando distúrbios neurológicos graves. Pode levar ao coma e, se não tratada, é fatal. MSF tratou 48 pessoas com a doença do sono em 2019.

Foto: Philipp Frisch/MSF


 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar