Você está aqui

Tuberculose: MSF defende baixa do preço de medicamento

25/02/2016
A delamanida custará 1.700 dólares para países em desenvolvimento. Mais de dois anos após a aprovação do medicamento, somente 180 pessoas no mundo tiveram acesso a ele

Foto: Pierre-Yves Bernard/MSF

Na quarta-feira (24/02), a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) expressou grande preocupação com o alto preço anunciado para o novo medicamento para tuberculose (TB), a delamanida. A empresa farmacêutica japonesa Otsuka disse que disponibilizaria o medicamento para alguns países em desenvolvimento ao custo de 1.700 dólares por curso de tratamento. A delamanida é um dos dois únicos novos medicamentos para tratar a tuberculose (TB) que foram disponibilizados na última metade do século, e é efetivo contra as cepas mortais da tuberculose, como a TB multirresistente (TB-MDR) e a TB extensivamente resistente (TB-XDR), que são resistentes a muitos dos outros medicamentos usados para tratá-las.

A delamanida precisa ser ingerida com vários outros medicamentos para tratar efetivamente a TB resistente a medicamentos (TB-DR); os regimes, sem a delamanida, já custam entre 1.000 a 4.500 dólares por curso de tratamento, nos preços mais baixos disponíveis para países em desenvolvimento, despesa com a qual os governos não podem arcar. Para ajudar a ampliar o acesso ao tratamento para a TB-DR, MSF está defendendo que o preço do delamanida por curso de tratamento seja de 500 dólares.

Os países elegíveis para receber verba do Fundo Global de Luta Contra Aids, Tuberculose e Malária (GFATM, na sigla em inglês) poderão comprar a delamanida por 1.700 dólares por curso de tratamento por meio do Fundo Global de Medicamentos (GDF, na sigla em inglês), mecanismo para aquisições de medicamentos para TB da ONU. Isso desde que o medicamento esteja registrado para uso no país ou que as renúncias de importação necessárias tenham sido feitas.

Até o momento, a Otsuka registrou a delamanida em apenas quatro países (Alemanha, Japão, Coreia do Sul e Reino Unido), sendo que nenhum desses têm alta incidência de TB-DR. A empresa deveria registrar o medicamento em países com alta incidência da doença, e também em países onde foram feitos ensaios clínicos da delamanida.

“Os países deveriam começar a ampliar o tratamento para mais pessoas com TB-DR, usando os medicamentos mais efetivos disponíveis, mas a delamanida não está com um preço acessível e nem disponível na maioria dos países atualmente”, disse a Dra. Grania Brigden, consultora para tuberculose da Campanha de Acesso a Medicamentos de MSF. ”O preço da delamanida precisa ser reduzido a um nível acessível, e a Otsuka também deveria registrar rapidamente o medicamento em todos os países onde ele foi testado em ensaios clínicos, assim como em países com os maiores índices de TB-DR. Se as pessoas não puderem ter acesso à delamanida, esse novo e promissor medicamento será efetivamente inútil.”

Estima-se que até dois terços das quase 1 milhão de pessoas que contraem TB resistente a medicamentos por ano poderiam se beneficiar da delamanida; no entanto, nos dois anos desde que o medicamento foi aprovado, somente 180 pessoas receberam o novo tratamento.

“A Otsuka deveria priorizar a ampliação do acesso para pessoas cujas vidas poderiam ser salvas pela delamanida”, disse a Dra. Grania Brigden. “Deveriam ser concentrados todos os esforços para garantir que o maior número possível de pessoas possam se beneficiar desse novo tratamento promissor, mas, infelizmente, não é isso o que estamos vendo hoje.”

MSF oferece cuidados para tuberculose (TB) há 30 anos, e trata a TB multirresistente (TB-MDR) desde 1999. Atualmente, MSF é uma das maiores ONGs provedoras do tratamento para TB resistente a medicamentos (TB-DR). Em 2004, a organização tratou mais de 23 mil pacientes com TB, incluindo 1.800 pacientes com TB-DR. MSF visa a ampliar o uso da delamanida em seus programas, e, em dezembro de 2015, aceitou uma doação do medicamento para uso em seus programas e nos projetos da parceria endTB (fim da TB, em tradução livre para o português).

Os preços dos regimes de medicamentos para TB-DR estarão na próxima publicação de MSF, “DR-TB Drugs Under the Microscope” (“Medicamentos para TB-DR sob o microscópio”, na tradução livre para o português”), 4ª edição, a ser divulgada em março de 2016.