Você está aqui

Terremoto no Equador: após um mês, MSF encerra atividades

27/05/2016
Suporte à saúde mental e distribuição de kits para abrigo, cozinha e higiene são interrompidos
Terremoto no Equador: após um mês, MSF encerra atividades

Foto: Albert Masias/MSF

Pouco antes das 19h00 do sábado, 16 de abril, o chão começou a tremer no Equador. O terremoto de magnitude 7.8 foi um dos piores a atingir o país nas últimas décadas. De acordo com dados oficiais, mais de 660 pessoas morreram e outras 28.700 estão vivendo em abrigos após terem tido suas casas parcial ou totalmente destruídas.

Fortes tremores subsequentes continuaram a atingir o país. Em 18 de maio, dos terremotos, de magnitudes 6.7 e 6.8, foram reportados, com epicentros entre cantões de Quinindé, Muisne e Pedernales. Autoridades locais reportaram que ambos os terremotos foram fortes o suficiente para afetar mais prédios e deixar algumas comunidades sem eletricidade.

Quatro equipes da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) foram enviadas ao país após o principal terremoto e ficaram um mês trabalhando nas províncias de Manabi e Esmeralda, duas das áreas mais afetadas. Após uma avaliação inicial, os esforços foram concentrados na provisão de saúde mental e na distribuição de kits para abrigo e itens de cozinha e higiene.

Psicóloga de MSF fala sobre cuidados com a saúde mental à população (Foto: Albert Masias/MSF)Saúde mental em meio à emergência: cuidando dos cuidadores
Equipes de MSF trabalhando nas províncias de Esmeralda e Manabi ofereceram suporte de saúde mental e conduziram treinamento para 4.950 agentes de saúde, psicólogos, professores, docentes universitários, agentes sociais e líderes comunitários. Muitos desses profissionais de saúde foram, sem dúvida, afetados pelo terremoto. Além de lidar com as consequências do desastre para si mesmos e para suas famílias, eles também têm de cuidar de seus pacientes. Para oferecer suporte a essas pessoas, MSF conduziu treinamento em técnicas de aconselhamento e programas de desenvolvimento psicossocial nas instalações de saúde. Nossas equipes treinaram mais de 60 docentes para conduzirem suas próprias sessões que ajudarão membros de suas comunidades a identificar sinais de problemas de saúde mental mais graves que demandam tratamento em profundidade.

“A equipe de MSF fez uma contribuição realmente valiosa para nós”, afirma Mariel Garcia, responsável por saúde mental nas regiões de Manabi e Santo Domingo. “Profissionais de saúde são afetados por distúrbios relacionados com a fadiga e a ansiedade. O terremoto foi devastador para nós. Temos de estar preparados para que saibamos o que fazer, para onde ir e qual será nossa estratégia, para que também estejamos com a saúde mental em bom estado. Também precisamos ensinar às pessoas as técnicas para lidar com o luto e prevenir que evolua para uma doença.”

A equipe também treinou professores de escola primária em atividades em grupo que podem ajudar as crianças e as famílias a lidar com o pós-terremoto. Também foram conduzidas sessões de aconselhamento em grupo em abrigos temporários.

Distribuição de kit para famílias afetadas
Distribuição de itens essenciais (Foto: Albert Masias/MSF)Em Jama, localizada na costa da província de Manabi, uma equipe de MSF distribuiu kits para abrigo, cozinha e higiene para 500 famílias. Os kits foram compostos de tendas, colchões, mosquiteiros, cobertores e utensílios de cozinha. No total, mais de 2 mil pessoas foram beneficiadas.

“No dia do terremoto, minha casa foi destruída, não sobrou nada, e minha filha e netos tiveram que buscar refúgio”, conta Analcibar Ceballos, 50 anos, da cidade de Jama. “Com a nossa própria tenda, podemos agora desfrutar de um pouco mais de privacidade com nossas famílias e nos protegermos do sol e da chuva. Minha pele estava toda queimada porque procurávamos por pedaços de pau para montar uma tenda para nos protegermos do sol.”

A equipe de MSF na província de Manabi também realizou 120 consultas médicas e distribuiu medicamentos para as clínicas e hospitais locais. Outra equipe de MSF distribuiu 180 kits de higiene, cerca de 200 kits de cozinha e mais de 60 tendas, colchões, cobertores, lonas plásticas e 10 tanques de água, cada um com capacidade de 5 mil litros.

 

Kits de pesca para trabalhadores
Nas províncias de Manabi e Esmeraldas, o setor da pesca foi um dos mais gravemente afetados pelo terremoto. MSF distribuiu kits de pesca às famílias afetadas: “Minha casa colapsou e eu agora moro em um abrigo com minha esposa e nossos quatro filhos”, disse Ángel Delgado Domíngues, pescador de 31 anos. “Eu ganho minha vida com a pescaria tradicional, mas, agora, estou desempregado porque não consigo vender peixe para ninguém. Estou impotente e espero que o trabalho volte ao normal em algumas semanas.”