Você está aqui

Terremoto no Equador: apoio psicossocial e distribuição de medicamentos

22/04/2016
Equipes de MSF estão oferecendo assistência nas áreas afetadas de Muisne, Chamanga e Cabo de São Francisco

Foto: MSF

Seis dias após um terremoto de magnitude 7.8 atingir o nordeste do Equador, o número de mortos e feridos continua a aumentar. De acordo com dados oficiais, 570 pessoas morreram, mais de 7 mil estão feridas e 155 continuam desaparecidas. Mais de 24.400 pessoas estão vivendo em abrigos. Na manhã da última quarta-feira (20/04), uma réplica de magnitude 6.1 na escala Richter abalou novamente a costa do país, a cerca de 25 quilômetros de Muisne, uma das áreas mais afetadas. Ainda não há relatos de novos feridos ou danos resultantes da réplica.

Assim que organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) soube da magnitude do terremoto, quatro equipes foram mobilizadas e já estão na região. No primeiro dia em campo, MSF realizou 25 consultas de saúde primária, e 11 sessões de saúde mental e psicossocial para 45 pessoas em Chamanga, na província de Esmeraldas. Em Pedernales, uma das áreas mais afetadas, equipes de MSF forneceram medicamentos e suprimentos ao hospital do Ministério da Saúde e a um centro de saúde local. Equipes psicossociais também visitaram alguns dos abrigos locais.

As necessidades mais urgentes são de apoio psicossocial e doações de água, lonas plásticas e galões para os deslocados em abrigos nas regiões de Muisne, Chamanga e Cabo de São Francisco, nos municípios de Muisne e Pedernales. MSF também fará doações de medicamentos e suprimentos médicos para diversas estruturas de saúde nas áreas afetadas. Equipes de MSF baseadas nessas áreas estão planejando expandir e desenvolver essas atividades ao longo das próximas três semanas.