Você está aqui

Sudão do Sul: pré-natal para as mulheres da região de Leer

03/05/2019
Após três anos sem atuar na região, abrimos uma nova instalação que oferece cuidados maternos, reprodutivos e de emergência
Sudão do Sul: pré-natal para as mulheres da região de Leer

Foto: MSF/Sarah Pierre

Três anos após os ataques contra nossos pacientes e profissionais, Médicos Sem Fronteiras (MSF) decidiu restabelecer uma presença permanente na cidade de Leer, no norte do Sudão do Sul, com uma nova instalação. Com inauguração em 1º de abril, a equipe de MSF começou a fornecer serviços médicos básicos, cujo objetivo é melhorar o acesso a cuidados maternos, reprodutivos e de emergência para as comunidades locais. Mais de 300 pessoas já foram tratadas, incluindo mais de 100 mulheres grávidas.

 

Anos de violência

As comunidades locais na região de Leer sofreram com anos de conflito armado, o que limitou gravemente seu acesso a cuidados médicos. Como resultado, aqueles que são mais vulneráveis, como mulheres grávidas e crianças, foram afetados por doenças totalmente evitáveis e consequentes complicações médicas.

“O conflito destruiu muitas coisas, inclusive os hospitais. Havia também muita insegurança nas estradas. Mulheres podiam ser estupradas e homens podiam ser mortos. Não nos atrevíamos a andar por aí, era muito perigoso”, explica Nyataba, mãe de três filhos. 

MSF esteve presente na região de Leer ao longo dos últimos 30 anos. Três anos atrás, a equipe sul-sudanesa de MSF, juntamente com as comunidades locais, fugiu de ataques violentos, se escondendo nos pântanos. Elas fugiram com pequenos estoques de medicamentos para poderem tratar morbidades, como diarreia, infecção do trato respiratório e malária. As equipes móveis têm sido a única opção de acesso a serviços de saúde para muitas pessoas.

Restabelecendo a presença na cidade de Leer

Após uma avaliação das necessidades mais urgentes, MSF, em colaboração com autoridades locais de saúde e agentes de saúde, decidiu voltar à cidade de Leer para ampliar o acesso aos serviços médicos necessários para as comunidades locais. Os serviços de MSF incluem uma unidade de estabilização para pacientes que apresentam condições médicas graves, uma maternidade, consultas pré-natais e atendimento de emergência para sobreviventes de violência sexual e de gênero.

Durante as primeiras três semanas de abril, 343 pacientes se beneficiaram da atenção médica oferecida por MSF na cidade de Leer. A equipe assegurou 198 pré-natais e apoiou 34 mulheres grávidas em sua maternidade, incluindo 10 partos. Além disso, 111 pacientes foram tratados na unidade de estabilização, a maioria dos quais eram crianças com menos de cinco anos que sofriam de diarreia grave e infecções do trato respiratório, bem como desidratação e desnutrição.
 

Pré-natal: um divisor de águas para mulheres grávidas

“A assistência médica em um estágio inicial é particularmente importante para mulheres grávidas”, diz a parteira de MSF Beatrice Akongo. "Ao garantir a prevenção e o tratamento de infecções como malária ou doenças sexualmente transmissíveis, podemos evitar complicações na gravidez, incluindo as graves que colocam em risco a saúde da mãe e da criança."

Em apenas três semanas, as obstetrizes de MSF na cidade de Leer apoiaram mais de 10 mães a dar à luz em condições seguras. Muitas haviam caminhado por várias horas para chegar à instalação de MSF a tempo.

Durante o mesmo período, a equipe também viu uma alta prevalência de abortos espontâneos, com 12 mulheres tratadas na maternidade para essa condição. As mulheres e meninas na região de Leer continuam a sofrer as consequências de anos de acesso interrompido a cuidados básicos de saúde, com doenças evitáveis colocando a gravidez em risco.

Entre outros desafios para o acesso à saúde, as mulheres muitas vezes possuem muito pouco tempo para cuidar de si mesmas. “Como mulheres, nossa prioridade é cuidar de nossos filhos e pensar em como os alimentaremos”, explica Nyataba.

Além disso, as mulheres do Sudão do Sul caminham horas para buscar lenha e água. Todos os dias, Nyatwor, uma mãe de 21 anos, anda oito horas para levar 30 litros de água para casa.

Com a notícia dos cuidados maternos e reprodutivos na cidade de Leer, há um aumento do número de mulheres que procuram atendimento médico no estágio inicial de sua gravidez. "Isso é muito positivo e é precisamente quando podemos ter um impacto maior para garantir que a mãe e a criança permaneçam saudáveis", sorri Beatrice.
 

Encaminhamento para cuidados médicos adicionais

Na cidade de Leer, MSF também apoia o encaminhamento de pacientes que necessitam de tratamento médico adicional para outras instalações. Até agora, os pacientes foram encaminhados para uma estrutura médica na cidade de Leer para consultas ambulatoriais. Além disso, com o apoio de outro agente de saúde local, quatro pacientes foram encaminhados ao hospital de MSF no Complexo de Proteção de Civis (PoC, na sigla em inglês) de Bentiu para atendimento especializado e cirúrgico.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar