Você está aqui

Sudão do Sul: ataque a equipes de MSF interrompe trabalho da organização em área do país

30/04/2018
Médicos Sem Fronteiras para de operar clínicas em áreas remotas ao redor de Mundri após violento assalto à mão armada

Uma equipe que trabalha para a organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) foi vítima de um violento assalto à mão armada na terça-feira, 24 de abril. O assalto ocorreu em uma área ao sul da cidade de Mundri, no Sudão do Sul. MSF condena esse ato brutal.

Enquanto a equipe de MSF oferecia a assistência médica tão necessária para áreas remotas de Mundri, um grupo de 10 homens armados não identificados pararam seu comboio, agrediram fisicamente a equipe, ameaçaram-nos com violência e levaram seus pertences pessoais, suprimentos médicos e outras propriedades de MSF.

Esse ataque força MSF a parar de operar clínicas móveis na área até que o acesso seguro às comunidades isoladas que apoiamos possa ser assegurado por todos os atores armados da região. A própria população do Sudão do Sul é quem mais sofre quando nossas clínicas móveis e outras instalações não podem operar com segurança. Neste caso, o assalto à mão armada afeta diretamente os serviços de saúde necessários para cerca de 75 mil pessoas.

MSF atua em Mundri desde outubro de 2016. Apesar dos desafios que enfrentamos quando prestamos a assistência médica e humanitária tão necessária, de janeiro a março de 2018, MSF forneceu 1.760 consultas médicas a comunidades em Mundri, incluindo 509 pacientes tratados por malária.

Leia mais sobre