Você está aqui

Síria: MSF está perplexa com o bombardeio de mais um hospital na área de Damasco

23/11/2015
Após ataque aéreo, dois mísseis atingiram a frente da instalação de saúde

Às 14h30 da quinta-feira, 19/11, um ataque aéreo atingiu Erbin, uma das maiores áreas do leste de Damasco, na Síria. Meia hora depois, aproximadamente às 15h00, quando sete feridos chegavam para receber tratamento urgente para ferimentos de guerra, dois mísseis explodiram logo do lado de fora da entrada do hospital improvisado apoiado pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF).

Duas pessoas foram mortas e outras seis ficaram feridas, aumentando para 13 o número total de feridos – incluindo dois médicos que estavam tentado fazer triagens e oferecer assistência primária – e danificando o prédio do hospital e uma ambulância. Um dos médicos precisou de uma cirurgia vital que demandou abrir seu peito, e o outro teve fraturas múltiplas.

“A situação foi caótica”, conta o diretor do hospital de Erbin, que deseja permanecer no anonimato. “Estávamos começando a tratar o primeiro influxo de feridos quando, de repente, outros mísseis foram lançados na frente do hospital. Levamos algum tempo para nos darmos conta de que dois de nossos colegas, que prestavam assistência aos feridos na entrada, estavam gravemente feridos. Uma situação já dramática havia se tornado duas vezes mais dramática.”

Na sexta-feira, 20/11, bombardeios intensos tiveram continuidade na região de Ein Terma, localizada também na área sitiada de Ghouta Oriental. Um hospital improvisado apoiado por MSF na região tratou 17 pacientes feridos de guerra e registrou seis mortes já na chegada.

“MSF está perplexa com o fato de que, mais uma vez, uma estrutura de saúde e seus profissionais tenham sido alvo depois de terem oferecido tratamento essencial a feridos de guerra de uma campanha de bombardeios indiscriminados”, afirma Brice de le Vigne, diretor de operações de MSF. “Sentimos a dor e o desespero desses médicos, que estão trabalhando com as probabilidades agindo fortemente contra eles. Dia após dia, esses médicos e enfermeiros trabalham sitiados e sob bombardeios; eles dispõem de equipamento muito limitado e são obrigados a trabalhar em edifícios convertidos em hospitais improvisados. Com dois médicos extremamente talentosos gravemente feridos, o número de médicos disponíveis para essas comunidades sitiadas e que vivem sob as bombas diminuiu ainda mais nesses últimos dois dias.”

Recentemente, MSF havia provido um kit para anestesia, um kit de medicamentos para o centro cirúrgico e um kit de tratamento para diarreia ao hospital de Erbin, como parte do programa regular de apoio. A equipe de suporte de MSF busca urgentemente formas de garantir o novo suprimento de itens que foram danificados no ataque com mísseis ou que tenham sido utilizados para o tratamento de feridos.

MSF opera seis instalações médicas no norte da Síria e apoia diretamente mais de 100 postos de saúde e hospitais de campanha pelo país, com foco particular em áreas sitiadas. São, principalmente, instalações improvisadas sem a presença dos profissionais de MSF, para as quais a organização oferece tanto suporte material quanto treinamento para que os médicos sírios possam lidar com as necessidades médicas extremas. Essa rede de suporte tem sido construída ao longo dos últimos quatro anos.

Leia mais sobre