Você está aqui

Síria: hospitais de Aleppo relatam um aumento acentuado de feridos depois de dias de bombardeios pesados

23/09/2016
MSF denuncia o bombardeio indiscriminado de áreas civis na cidade sitiada
Síria: hospitais de Aleppo relatam um aumento acentuado de feridos depois de dias de bombardeios pesados

Foto: MSF

Hospitais apoiados pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) no leste de Aleppo relataram um aumento significativo no número de pacientes feridos, depois de dias de bombardeios incessantes contra a cidade sitiada.

Em apenas dois dias, hospitais apoiados por MSF informaram que receberam 145 feridos e registraram 23 mortes. MSF está profundamente preocupada com os efeitos da campanha aérea entre os civis, e com o bombardeio indiscriminado de áreas civis numa cidade já sufocada pelos efeitos do cerco.

“A população de Aleppo, já sob efeito do cerco, está de novo sob ataques terríveis”, disse Carlos Francisco, coordenador-geral de MSF na Síria. “Nenhuma ajuda, incluindo suprimentos médicos urgentemente necessários, tem permissão de entrada. Estamos preocupados com o alto número de feridos registrados pelos hospitais que apoiamos, e sabemos que em muitas áreas os feridos e doentes não têm onde buscar ajuda – eles simplesmente são abandonados para morrer.”

Desde julho, quando o cerco começou, a população do leste de Aleppo está sozinha. “O mundo assiste ao cerco de Aleppo e à morte de civis sem fazer nada. O conflito sírio é uma amostra devastadora de todas as atrocidades que podem ser concebidas numa zona de guerra. Uma realidade horrível na qual as regras da guerra não existem, e no lugar existe uma ofensiva total contra vidas e a infraestrutura civis – incluindo ataques a instalações de saúde”, afirmou Carlos Francisco.

MSF apoia oito hospitais na cidade de Aleppo, administra seis clínicas médicas no norte da Síria e apoia no total mais de 150 centros de saúde e hospitais no país, muitos deles em áreas sob cerco.

Leia mais sobre