Você está aqui

Síria: ataque destrói hospital apoiado por MSF

15/02/2016
Novos bombardeios em Idlib deixam ao menos sete mortos e oito desaparecidos

Foto: MSF

Ao menos sete pessoas foram mortas e ao menos oito estão desaparecidas, supostamente mortas, após um hospital apoiado pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) ter sido destruído em um ataque na manhã desta segunda-feira em Idlib, no norte da Síria.

O hospital em Ma'arat Al Numan foi atingido por quatro mísseis em dois ataques com um intervalo de poucos minutos entre eles, de acordo com a equipe do hospital. Cerca de 15 outras casas e estruturas localizadas em zonas populosas foram atingidas na região; houve, inclusive, relatos de outro hospital não apoiado por MSF ter sido atingido durante a manhã desta segunda-feira.

“A destruição da instalação apoiada por MSF parece ser um ataque deliberado a uma estrutura de saúde”, denuncia Massimiliano Rebaudengo, coordenador-geral de MSF.

Cinco pacientes foram mortos, bem como um cuidador. Além disso, um guarda do hospital foi morto e oito membros da equipe estão desaparecidos, supostamente mortos. Outros pacientes ainda não foram encontrados, mas os números são, atualmente, desconhecidos.

“A destruição do hospital deixa a população local de cerca de 40 mil pessoas sem aceso a serviços médicos em meio a uma zona de conflito ativa”, adiciona Massimiliano Rebaudengo.

Na manhã desta segunda-feira, também houve relatos de ataques a outros dois hospitais na cidade de Azaz. Essas instalações, no entanto, não eram apoiadas por MSF.

O hospital de 30 leitos em Ma'arat Al Numan contava com uma equipe de 54 profissionais, dois centros cirúrgicos, um departamento ambulatorial e uma sala de emergência. No ambulatório eram tratadas cerca de 1.500 pessoas por mês; na sala de emergência era realizada uma média de 1.100 consultas mensais; e cerca de 140 operações eram conduzidas por mês nos centros cirúrgicos, principalmente ortopédicas e gerais.

MSF prestava suporte a esse hospital desde setembro de 2015 e cobria todas as necessidades da instalação, incluindo a provisão de suprimentos médicos e o financiamento de despesas operacionais. Em dezembro de 2015, MSF prestou suporte à reconstrução do hospital, que precisou ser relocado após ter sido atacado três vezes.

Os confrontos também se intensificaram no distrito de Azaz, a cerca de 100 km de Ma'arat Al Numan, na segunda-feira, e o hospital Al Salamah, de MSF, recebeu, até o momento, 10 pacientes feridos. Um hospital materno-infantil (não apoiado por MSF) também foi bombardeado na cidade de Azaz, e as equipes estão organizando a estruturação de seu centro cirúrgico pediátrico no hospital Al Salamah, de MSF.
 

Leia mais sobre