Você está aqui

RDC: Aumenta mortalidade entre crianças desnutridas em Masisi

28/11/2018
Escassez de alimento terapêutico em outros centros de saúde leva famílias a procurar MSF
RDC: Aumenta mortalidade entre crianças desnutridas em Masisi

Foto: MSF

Médicos Sem Fronteiras (MSF) observa um aumento na mortalidade de crianças desnutridas em Masisi, uma área isolada do Kivu do Norte na República Democrática do Congo, onde a violência generalizada está restringindo o acesso das pessoas a cuidados de saúde.

Nos últimos dois meses, a taxa de mortalidade nas unidades de saúde apoiadas por MSF passou de 6,4% para 8%. "A insegurança está interrompendo as atividades rurais e fazendo com que as famílias fujam em busca de segurança", disse Ahmosi Twengererwe Bembeleza, supervisor de enfermagem da clínica móvel. “Quando as pessoas perdem suas terras e seus pertences, muitas vezes também perdem a capacidade de alimentar seus filhos. Muitas vezes as pessoas evitam a viagem para um centro de saúde por causa do medo de serem roubadas ou atacadas. Como resultado, mais crianças desnutridas chegam aos nossos centros de alimentação terapêutica em um estágio avançado de desnutrição, e quando a situação delas é muito crítica, até mesmo nossos melhores cuidados não são suficientes. ”

Abarishimana, mãe de gêmeos, explicou sua situação aos médicos de MSF em uma das clínicas móveis. “Um dia eles saquearam uma aldeia, no dia seguinte outra, e assim por diante. Quando dei à luz esses gêmeos, eles ficaram doentes. Você se lembra da aparência deles na primeira vez que os trouxe aqui? Eu estava tão envergonhada.”

"A terra é muito fértil aqui e, em circunstâncias normais, não deveria haver problemas de desnutrição grave", continua Bembeleza. "Mas as pessoas frequentemente tem medo de cultivar seus campos ou descobrem que o pouco que podem cultivar é roubado ou queimado".

Mas a insegurança não é o único fator preocupante. Em julho, as equipes de MSF registraram um aumento no número total de crianças desnutridas que chegavam para tratamento nas unidades de saúde que apoiam. Isso se deveu a uma quebra no fornecimento de Plumpy'Nut (alimento terapêutico usado no tratamento da desnutrição) em centros de saúde vizinhos que não são apoiados por MSF. Quando esses outros centros de saúde ficaram sem suprimentos, as famílias não tiveram escolha a não ser levar seus filhos a MSF. "Infelizmente, os problemas de fornecimento não são novos, mas recorrentes", diz Ahmed Tijany Deh, gerente de enfermagem das clínicas móveis de MSF.



MSF trabalha em Masisi desde 2007, apoiando o Hospital de Referência Geral, o Centro de Saúde de Masisi e o Centro de Saúde Nyabiondo. Nessas unidades de saúde, as equipes de MSF fornecem serviços gratuitos de atenção primária e secundária (cirurgia, medicina interna, ginecologia, maternidade, pediatria, neonatologia, programa nutricional, violência sexual, saúde mental, tratamento de cólera, serviço de emergência em ambulância). MSF também organiza clínicas móveis para alcançar comunidades em lugares remotos, para fornecer assistência rápida e flexível. As equipes móveis de MSF trabalham com casos de malária, violência sexual e planejamento familiar.

A província de Kivu do Norte sofre com a violência extrema que continua desde as guerras do Congo nos anos 90.

Leia mais sobre