Você está aqui

RCA: hospitais precisam ser respeitados para que feridos recebam atendimento

02/05/2018
MSF se esforça para oferecer atendimento médico em meio à crescente violência na República Centro-Africana
RCA: hospitais precisam ser respeitados para que feridos recebam atendimento

Florent Vergnes/AFP

A população dos bairros de PK5 e Fatima, na capital da República Centro-Africana (RCA), Bangui, foram novamente vítimas de tiroteios indiscriminados. As equipes médicas de Médicos Sem Fronteiras (MSF) atenderam os feridos que chegavam às instalações de saúde.

Cinco feridos chegaram à maternidade de Gbaya Dombia, onde foram atendidos e depois liberados. Um deles, em estado crítico, foi transferido para o hospital SICA, de MSF. Ao meio dia, o hospital recebeu mais de cinquenta feridos, todos com feridas à bala. Seis pacientes não resistiram aos ferimentos.

O hospital SICA é um dos únicos hospitais de Bangui capaz de oferecer cirurgias de urgência. Nele, MSF oferece cuidados médicos gratuitos a todos que necessitam.

“Foi na chegada de uma ambulância que uma multidão indignada se juntou na porta do hospital SICA, ameaçando diretamente a estrutura do hospital e impedindo o acesso de outras ambulâncias”, explica Anne-Marie Boyeldieu, coordenadora de MSF no país. “Nós entendemos a indignação das pessoas, mas é essencial que cada um lembre que o hospital é um lugar para todos. Os médicos estão empenhados a cuidar de cada paciente, independentemente da identidade, origem, religião ou filiação política.”

É em tempos de crise que precisamos de hospitais, ambulâncias e profissionais de saúde. MSF pede, mais uma vez, a contribuição de todos para que cuidados médicos sejam garantidos a todos.

Médicos Sem Fronteiras é uma organização médico-humanitária, neutra, imparcial e independente que oferece cuidados de saúde à população de Bangui e de outras províncias da RCA desde 1997.