Você está aqui

Profissional de saúde local é morto em ataque na República Centro-Africana

05/02/2015
MSF estende profunda e sinceramente sua solidariedade e condolências à família e aos colegas da vítima

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está profundamente chocada e entristecida com a morte de Paulin Langbazounga, um colega do Comitê de Gestão de Saúde (COGES, sigla em francês). O COGES é o órgão administrativo local com o qual MSF colabora, a fim de oferecer cuidados de saúde à população em Zemio, no sudeste da República Centro-Africana (RCA). Assim como em várias partes do país, MSF trabalha em Zemio em contato direto com outras organizações, como o COGES, para implementar treinamentos e supervisionar e oferecer medicamentos e materiais médicos.

O incidente ocorreu na tarde da sexta-feira do dia 30 de janeiro, a aproximadamente 20 km de Zemio, enquanto Paulin estava viajando de seu vilarejo, Bahr, até Zemio de bicicleta. Embora as circunstâncias exatas do tiroteio ainda não estejam claras, Paulin não estava viajando a trabalho, fato que sugere que MSF não era alvo específico deste ataque.

Paulin, que tinha 62 anos, era o chefe do vilarejo de Bahr. Ele deixa para trás uma esposa, filhos e netos. Paulin era o coordenador-geral adjunto do posto de saúde apoiado por MSF em Bahr, e participava todos os dias de atividades de extensão com promotores de saúde comunitários de MSF. Ele era um colega valioso e dedicado e vai fazer muita falta. MSF estende profundas e sinceras condolências à família e aos colegas.

Civis por toda a RCA continuam expostos a altos riscos como resultado da violência. A insegurança causada por vários indivíduos e grupos armados também representa uma séria ameaça para organizações humanitárias. Zemio não foi poupada da violência que tem afligido o resto da RCA, e a cidade testemunhou um ciclo notável de violência sectária no fim de novembro, que durou vários dias.

Leia mais sobre