Você está aqui

Principal suspeito de matar integrantes de equipe de MSF no Afeganistão é libertado

26/09/2006
A organização Médicos Sem Fronteiras sente-se frustrada por não ter respostas sobre quem cometeu os crimes e por qual motivo

Mais de dois anos após o assassinato de cinco integrantes da equipe de Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão, os responsáveis pelo crime ainda não foram identificados e o principal suspeito foi solto, antes do fim do processo judicial.

O principal suspeito do assassinato já havia sido liberado em janeiro passado devido à falta de evidências. No entanto, ele permaneceu sob custódia à espera de um apelo judicial. Depois, foi divulgado que sua ficha havia sido perdida. Agora tomamos conhecimento de que ele foi liberado porque estava preso pelo máximo de tempo permitido por lei.

"Com essa libertação hoje, ficamos sem resposta", afirmou Geoff Prescott, diretor-geral de MSF na Holanda. "Não temos mais idéias dos motivos por trás dos assassinatos e não entendemos porque parece não ter ocorrido nada no processo judicial desde janeiro, resultando na soltura do principal suspeito. Nós precisamos expressar nossa frustração e o medo de que nunca saberemos o que realmente aconteceu e por quê".

MSF também está preocupada com o que o ato pode representar para os civis hoje no Afeganistão se pessoas forem mortas e o crime continuar impune.

O mais recente episódio é apenas outra sombra no que já é uma história muito dolorosa e inacabada para a organização, assim como também para as famílias das vítimas.

Leia mais sobre