Você está aqui

Níger: ataque mortal na região do Lago Chade

25/05/2016
MSF presta assistência às vítimas da violência no distrito de Bosso, na região de Diffa
Níger: ataque mortal na região do Lago Chade

Foto: MSF

Ao menos seis pessoas foram mortas e oito ficaram gravemente feridas na última quinta-feira (19/05) em meio a um ataque a Yebi, no distrito de Bosso, no Níger, onde milhares de pessoas deslocadas do Lago Chade haviam se instalado buscando refúgio. De acordo com as autoridades nigerinas, o ataque foi perpetrado pelo grupo conhecido como Boko Haram. 

A pedido das autoridades de saúde locais, MSF evacuou as oito pessoas mais gravemente feridas para o hospital regional da cidade de Diffa, capital da região.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), de 1º de janeiro a 10 de março de 2016, somaram-se 20 os ataques relacionados com o Boko Haram. Há um conflito em andamento na região entre o grupo e o exército nigeriano.

Durante o ataque, que aconteceu na noite de 19 de maio, o mercado e muitas casas foram incendiados. Três depósitos que forneciam água dia e noite para o vilarejo também foram destruídos juntamente com o gerador que faz a bomba funcionar. Sem esses três depósitos, o vilarejo não mais dispõe de abastecimento de água, na medida em que não há outra fonte de gratuita no entorno de Yebi.

Impacto sobre a atuação médica

O posto de saúde da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Yebi, que servia a uma população de cerca de 20 mil pessoas, também foi completamente destruído. O centro de saúde registrou uma média de 400 consultas por semana, na medida em que não há outra instalação de saúde no local.

“Estamos muito preocupados com o impacto desses ataques sobre a população e com a falta de respeito a instalações médicas, o que poderia ameaçar um acesso já limitado a cuidados de saúde em Diffa”, diz Elmounzer Ag Jiddou, coordenador-geral de MSF no Níger. “Estamos planejando retomar as atividades logo que possível.”

Uma campanha de vacinação contra o sarampo, que teve início pouco antes do ataque, teve de ser adiada por vários dias.

MSF está apoiando diversos centros de saúde nos distritos de Diffa, Nguigmi e Bosso, assim como o principal centro de cuidados materno-infantis na cidade de Diffa e o hospital distrital de Nguigmi. MSF também está oferecendo cuidados de saúde no acampamento de Assaga e em Yebi, nos arredores de Bosso, onde milhares de pessoas buscaram refúgio. Em 2015, MSF realizou mais de 142 mil consultas médicas na região.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar