Você está aqui

MSF trata vítimas do bombardeio em Kunduz, no Afeganistão

30/01/2013
Organização atende pessoas feridas em hospital que administra na cidade

Após o bombardeio de sábado no centro da região norte da cidade de Kunduz, no Afeganistão, a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) recebeu 22 pacientes em seu hospital cirúrgico no local.

Cinco pessoas morreram ao chegar ao hospital e outras duas durante a cirurgia. Das 17 pessoas tratadas por MSF, 11 apresentaram ferimentos graves e estavam em estado crítico. Quase todos os pacientes apresentaram ferimentos relacionados à explosão, incluindo fraturas, traumatismos cranianos e lesões abdominais e no peito, que requerem cirurgia especializada.

“As pessoas correram ao hospital após a explosão, buscando informações e perguntando sobre seus familiares, o que é compreensível”, disse Aurelien Marechal, coordenador de projeto de MSF em Kunduz. “No entanto, o hospital estava lotado e tivemos que impedir a entrada temporiamente para garantirmos espaço para a equipe médica realizar tratamento urgente.”

Por meio da iniciativa “plano de acidentes múltiplos”, que classifica os pacientes de acordo com a
gravidade de seus ferimentos, a equipe médica pôde identificar e atender aqueles que demandavam atenção imediata.

Em todas as regiões onde MSF atua no Afeganistão, uma política rígida contra a entrada de armas de fogo é implementada para garantir a segurança dos pacientes.

“Não importa o que esteja acontecendo do lado de fora dos portões, o hospital precisa permanecer um local seguro para médicos trabalharem e pacientes receberem tratamentos vitais”, conta Marechal.
 
MSF administra o hospital cirúrgico em Kunduz desde agosto de 2011, oferecendo cirurgia de emergência e acompanhamento a pessoas feridas em conflito e àqueles com ferimentos fatais. Um total de 10 mil pessoas foram tratadas em 2012.
 
Equipes de MSF também atuam no hospital de Ahmad Shah Baba, em Kabul, e no hospital de Boost, em Lashkargah, capital da província de Helmand, além de administrarem, uma maternidade na província de Khost. Nessas instalações, MSF oferece cuidados de saúde gratuitos de qualidade para qualquer pessoa necessitada.
 
MSF não aceita financiamento de quaisquer governos para seus projetos no Afeganistão. A organização recebe, exclusivamente,  doações privadas.
 

Leia mais sobre