Você está aqui

MSF pede evacuação médica de feridos de guerra sírios pelo norte da Jordânia

22/07/2016
Organização inaugura nova ala cirúrgica no hospital de Ramtha, a cinco quilômetros da fronteira com a Síria
MSF pede evacuação médica de feridos de guerra sírios pelo norte da Jordânia

Foto: Denis Bosnic

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) pediu a evacuação médica de feridos de guerra sírios pela fronteira norte da Jordânia, que, no momento, está fechada. O apelo coincide com a inauguração de um novo departamento cirúrgico no projeto de cirurgia emergencial de trauma mantido por MSF no hospital público de Ramtha, na Jordânia, a cinco quilômetros da fronteira com a Síria.

Desde o fechamento da fronteira da Jordânia com a Síria, em 21 de junho de 2016, após um ataque suicida que matou sete soldados jordanianos, MSF não recebeu nenhum sírio ferido de guerra sírio na emergência do hospital de Ramtha.

“O fechamento das fronteiras fez com que as vítimas mais vulneráveis do conflito – aquelas gravemente feridas pela guerra – não tenham mais chances de sobrevivência”, diz Luis Eguiluz, coordenador-geral de MSF na Jordânia. “Até que tenham acesso novamente à Jordânia, essas pessoas não terão meios de receber cuidados médicos vitais de que necessitam urgentemente.”

Em resposta ao grande número de sírios que chegam a Ramtha com ferimentos graves, decorrentes da intensificação dos confrontos no sul da Síria, MSF decidiu abrir uma nova ala no hospital para ampliar o nível e a qualidade dos cuidados cirúrgicos e pós-operatórios oferecidos. Desde a inauguração do projeto de Ramtha, em setembro de 2013, e em estreita colaboração com o Ministério da Saúde da Jordânia, MSF tratou 1.062 pacientes sírios – 23% eram mulheres e 36%, crianças – e conduziu mais de 800 cirurgias de grande porte.

O fechamento da fronteira norte da Jordânia e a recusa de acesso para sírios feridos no conflito levantam sérias preocupações, principalmente porque o sistema de saúde sírio foi dizimado nos últimos cinco anos de guerra indiscriminada. “Nós fazemos um apelo às autoridades para que continuem sendo solidárias aos feridos de guerra – a solidariedade já salvou a vida de muitos homens, mulheres e crianças sírios”, afirma Eguiluz.

MSF está preparada para receber sírios gravemente feridos em seu novo departamento cirúrgico em Ramtha. O novo departamento também permitirá ao hospital responder melhor às necessidades médicas da comunidade de Ramtha. “Os centros cirúrgicos que antes eram usados por MSF serão repassados ao hospital de Ramtha para uso do departamento obstétrico”, explica Michael Talotti, coordenador do projeto de MSF em Ramtha. “Esse repasse irá assegurar mais privacidade às mulheres jordanianas e garantir sua proteção, independência e acesso a essas instalações.”

Desde que teve início o conflito na Síria, mais de 4 milhões de sírios buscaram refúgio em países vizinhos, incluindo a Jordânia. MSF atua na Jordânia desde agosto de 2006, quando estruturou um programa de cirurgia reconstrutiva na capital, Amã. Desde 2013, MSF mantém um projeto de cirurgia emergencial de trauma no hospital em Ramtha, assim como um hospital materno-infantil e dois projetos de doenças não-transmissíveis em Irbid e em Ramtha para apoiar refugiados sírios e jordanianos vulneráveis das comunidades anfitriãs.

Leia mais sobre