Você está aqui

MSF participa do resgate de 3 mil pessoas no Mediterrâneo em um só dia

30/08/2016
Entre os migrantes e refugiados recebidos no navio Dignity 1, havia 92 menores desacompanhados e gêmeos prematuros nascidos havia cinco dias
MSF participa do resgate de 3 mil pessoas no Mediterrâneo em um só dia

Foto: MSF

Um dos navios de busca e resgate da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) participou do socorro a cerca de 3 mil pessoas que estavam à deriva no Mediterrâneo Central, em 20 botes de borracha e vários barcos de madeira. Apenas um dos barcos levava entre 600 e 700 pessoas. A operação ocorreu na segunda-feira, 29 de agosto.

“É um dos maiores grupos de pessoas às quais prestamos ajuda em um único dia desde que nossas operações de resgate no Mediterrâneo começaram no ano passado”, disse Nicholas Papachrysostomou, coordenador do navio Dignity1. “Esse número inacreditável demonstra o desespero que as pessoas enfrentam em seus países, e que as leva a arriscar suas vidas para buscar segurança e proteção na Europa.”

O Dignity 1 normalmente acomoda 400 pessoas, mas, por causa das circunstâncias extremas de ontem, MSF recebeu a bordo 435 homens, mulheres e crianças. Para as outras pessoas em risco, MSF distribuiu todo o seu estoque de coletas salva-vidas e usou seu barco inflável de casco rígido, enquanto elas esperavam sua transferência para outros navios de busca e resgate na área.

O bebê prematuro de cinco dias foi transferido com sua mãe e irmão gêmeo para outra embarcação (Foto: MSF)“Entre os resgatados havia gêmeos prematuros de oito meses que tinham apenas cinco dias de vida”, contou Antonia Zemp, líder da equipe médica do Dignity 1. “A mãe estava viajando sozinha. Um dos meninos não estava passando bem, tinha vômitos, hipotermia e apatia. Depois de uma primeira triagem, nossa equipe médica decidiu pedir uma transferência. A saúde do neném estava tão frágil que ele não resistiria à longa viagem para a Itália em nosso navio. Transferimos a mãe e os gêmeos para outra embarcação que poderia levá-los mais rapidamente até a costa.”

Os profissionais de saúde de MSF cuidaram de pessoas que estavam exaustas e com sintomas como diarreia sanguinolenta, desidratação, febre, hipotermia e doenças de pele. Das 435 pessoas recebidas a bordo do Dignity 1, 353 eram homens e 82, mulheres. O grupo incluía 13 crianças menores de 5 anos e 110 menores de idade, dos quais 92 estavam desacompanhados.

No momento, o Dignity 1 se dirige a Vibo Valentia, na Calábria, Itália, para desembarcar as pessoas resgatadas. O navio voltará ao mar assim que seu estoque de suprimentos for reposto, para continuar as operações de busca e resgate.

“Segundo a Guarda Costeira italiana, cerca de 6.500 pessoas arriscaram suas vidas para cruzar o Mediterrâneo ontem, e foram resgatadas em 40 operações realizadas por diversas organizações”, disse Papachrysostomou. “Isso mostra que a resposta da União Europeia à crise nas suas fronteiras e dentro delas fracassou em atender as necessidades humanitárias urgentes de migrantes e refugiados. Mais de 3.167 pessoas já perderam suas vidas no Mediterrâneo em 2016, segundo dados da Organização Internacional para Migrações (OIM) e do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur). A União Europeia precisa implementar medidas que deem a essas pessoas alternativas seguras e legais para terem acesso à assistência e à proteção que elas procuram.”

Desde 21 de abril, quando começaram a operar neste ano, as equipes dos navios de busca e resgate de MSF Dignity1, Bourbon Argos e Aquarius (este em parceria com a organização SOS Mediterranée) resgataram um total de 11.365 pessoas, em 85 operações.

Leia mais sobre