Você está aqui

MSF oferece itens de emergência e apoio psicossocial para vítimas do terremoto em Sumatra

14/09/2007
Duas equipes compostas por médicos, paramédicos, profissionais de logística e um psicólogo estão trabalhando no local da tragédia

Onze funcionários da equipe de emergência de Médicos Sem Fronteiras estão oferecendo assistência às pessoas afetadas pelos terremotos na Ilha de Sumatra, na Indonésia. Para realizar um melhor trabalho, eles foram divididos em duas equipes, cada uma delas composta por médicos, paramédicos e profissionais de logística, na maior parte indonésios. A eles devem se juntar em breve uma experiente enfermeira da Unidade de Emergência de MSF, que parte da Europa nesta sexta-feira à noite.

Dois grandes terremotos atingiram a região. O primeiro, de magnitude 8.2 na escala Richter, foi registrado na quarta-feira, a sudoeste de Bengkulu, cerca de 128 quilômetros da costa. O segundo, de magnitude 7.8, ocorreu na quinta-feira e seu epicentro ocorreu a 185 quilômetros a sudoeste de Padang. De acordo com autoridades indonésias, 14 pessoas morreram e 56 ficaram feridas.

Na quinta-feira, uma equipe de MSF chegou em Padang, a capital da província de Sumatra Oeste. Eles visitaram os hospitais locais, que não haviam sofrido muitos danos. Em Bengkulu, uma cidade mais a sudeste e capital da província de Bengkulu, o hospital tinha sido consideravelmente destruído. Todos os pacientes tiveram de ser tratados em tendas.

Uma segunda equipe chegou na quinta-feira à noite de Jacarta, em um vôo fretado. Eles trouxeram sete toneladas de itens de emergência. O carregamento continha um kit cirúrgico para 25 operações, materiais para tratar ferimentos, cinco grandes tendas e mil cobertores.

A equipe de MSF distribuiu lâminas de plástico, kits de higiene (toalhas e sabonetes) para cerca de 300 famílias (1.500 pessoas) e vai continuar a distribuição nos próximos dias para mais de quatro mil famílias em Bengkulu, Muko-Muko e Sumatra-Barat. Esse material chegou por barco vindo de Jacarta.

MSF também verificou a situação ao longo da costa entre Padang e Bengkulu. "A equipe identificou cerca de 300 famílias cujas casas haviam sido destruídas e que precisavam de assistência", contou Martin De Smet, chefe da Unidade de Emergência. "Eles precisam de comida, roupas e tendas tamanho família. Na região de Bengkulu, MSF também continuou a avaliar os danos e as necessidades médicas da população".

MSF também está preparando recipientes para fornecer água limpa para as vítimas do terremoto.

Uma série de tremores pós-terremoto desencadeou uma nova onda de pânico entre as centenas de desabrigados que vivem em tendas ou abrigos improvisados. "Houve mais de 40 pequenos abalos após o grande terremoto há dois dias. As pessoas não só tem que lidar com a traumática experiência do terremoto, mas também se preocupar com a possibilidade de mais abalos ocorrerem", explica De Smet."É por isso que a equipe de MSF também conta com um psicólogo. Essa pessoa vai trabalhar com os colegas locais para oferecer apoio mental às pessoas. Junto com a distribuição de itens de emergência, água e atividades de higiene, a saúde mental é agora uma de nossas prioridades".