Você está aqui

MSF divulga lista das 10 crises humanitárias mais negligenciadas pela mídia em 2004

20/01/2005
Enquanto a guerra no Iraque continuou dominando o noticiário internacional, a Chechênia não recebeu nenhuma cobertura, o avanço da TB e os conflitos na Colômbia e Coréia do Norte só foram mencionados em reportagens sobre outros assuntos

O aumento das mortes causadas pela tuberculose (TB) e o alto preço pago pelas pessoas que vivem em conflitos crônicos como na Chechênia, Colômbia, República Democrática do Congo (RDC) e no norte de Uganda estão entre as dez crises humanitárias mais negligenciadas pela mídia em 2004, segundo avaliação da organização internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF). A sétima lista anual, também conhecida como Top Ten, destaca também a falta de atenção que a mídia norte-americana deu para as crises na Coréia do Norte e na Somália, para a situação de emergência vivida na Libéria um ano após o fim da guerra civil, para a ameaça constante de fome e epidemias na Etiópia, e para o sistema de saúde do Burundi que exclui os mais pobres do acesso aos serviços básicos ao cobrar pelos serviços públicos de saúde.

“A grande quantidade de apoio oferecida às pessoas no sul da Ásia revela como a cobertura da imprensa pode ter um impacto positivo nos esforços de se levar ajuda humanitária para pessoas que vivem em situações de crise”, disse Nicolas de Torrente, Diretor Executivo de MSF nos Estados Unidos. “Porque este apoio não pode ser estendido àqueles que são pegos por guerras ou que estão morrendo de epidemias como tuberculose? O silêncio é o melhor aliado das atrocidades, e este é o sexto ano consecutivo que incluímos na nossa lista crises como a vivida na Colômbia e na República Democrática do Congo”.

Segundo Andrew Tyndall, responsável pelo site The Tyndall Report que acompanha o que a imprensa publica nos Estados Unidos, as 10 histórias destacadas por MSF na lista Top Ten respondem por apenas 1 minuto dos 14.561 minutos de notícias transmitidos pelos três principais noticiários noturnos de televisão nos EUA. Enquanto a guerra no Iraque continua dominando o noticiário internacional, a Chechênia não recebeu nenhuma cobertura, e o avanço da tuberculose e as crises na Colômbia e na Coréia do Norte foram mencionadas em reportagens sobre outros assuntos. Ao mesmo tempo, 130 minutos foram destinados para Martha Stewart e 18 minutos para a multa indecente cobrada pela Comissão Federal de Comunicação contra a Liga Nacional de Futebol.

“Milhões de pessoas vivem em situações de catástrofe que sequer chegam a ser mencionadas”, disse de Torrente. “Mas as pessoas com quem temos contato em todo os Estados Unidos nos dizem que estão ávidas por informações, porque querem participar de alguma forma para o fim dessas crises”.

“Novamente, a Coréia do Norte esteve em evidência todo o ano de 2004, e mesmo assim o pesadelo vivido pela maioria dos norte-coreanos foi totalmente ignorado”, conclui de Torrente.

Leia abaixo as 10 crises humanitárias mais negligenciadas pela mídia em 2004:

Uganda
República Democrática do Congo
Colômbia
Tuberculose
Somália
Chechênia
Burundi
Coréia do Norte
Etiópia
Libéria