Você está aqui

MSF diversifica suas atividades no Haiti

29/01/2010
Equipe especializada em fornecimento de água começa a oferecer serviço para as comunidades, mas centro do trabalho permanece em hospitais e clínicas

A variedade de atividades que Médicos Sem Fronteiras (MSF) está realizando agora no Haiti com os sobreviventes do terremoto tem aumentado, à medida que as necessidades e prioridades mudam. No entanto, o centro das atividades médicas continua nos hospitais e nas clínicas.

Exemplos como esses vêm de projetos em Porto Príncipe, onde as equipes estão trabalhando em locais bem diferentes. No que é conhecido como “Novo Hospital Carrefour”, cirurgiões realizaram 40 operações nesta quarta-feira. Eles estão trabalhando em duas escolas que resistiram ao terremoto porque o hospital original, situado ao lado, tornou-se inutilizável após os tremores mais recentes. Na vizinhança de Carrefour Feuille, uma pequena equipe com duas enfermeiras, um médico e um especialista em obstetrícia estão administrando uma clínica a partir de uma tenda montada em uma área onde 9 mil pessoas viveram agora temporariamente. Eles ainda estão recebendo pessoas com ferimentos devido ao terremoto, mas também observaram um aumento no número de pacientes com diarreia e febre.

A bem sucedida implementação de novas unidades médicas provocou novos desenvolvimentos na capital e arredores. Um “vilarejo” pós-operatório foi criado com tendas na região chamada Delmas 30. Pacientes foram levados de lá para outros hospitais MSF para se recuperar das operações. Esse tipo de tratamento é uma das maiores demandas no Haiti no momento, como explica Brigg Reilley, um epidemiologista de MSF que está no país para analisar as necessidades de saúde. “Os casos mais sérios vão continuar a precisar de curativos e limpeza regular, tudo parte de um processo de enfermagem muito intensivo. Nós eventualmente vamos precisar de enxertos de pele e próteses. Será necessário não apenas nos próximos dias, mas nas próximas semanas, meses e muito mais. Mesmo depois que toda a atenção da mídia para com o Haiti diminuir, haverá pacientes com necessidades ortopédicas extensas devido ao terremoto”.

Uma provisão similar está disponível agora no que antes era o jardim de infância “Mickey", que está agora com 60 leitos, mas tem potencial para 180, e no Bincentenaire estão outros 30 leitos. Em uma escola secundária na região de Champs Mars, foi aberta uma clínica que em breve vai oferecer internação também. Fora de Porto Príncipe, na cidade de Jacmel, que foi especialmente atingida pelo terremoto, MSF está agora trabalhando no hospital local para oferecer atendimento em seu prédio e nas tendas montadas no entorno.

Uma das áreas de trabalho em expansão tem sido o fornecimento de água. MSF agora tem o material e a equipe de especialistas no Haiti para começar a ajudar alguma das comunidades nos locais onde oferecemos serviços de saúde. Uma nova clínica foi aberta no Vilarejo Grace e a equipe também está se responsabilizando pelo abastecimento de água para 15 mil pessoas na região. Perto do Hospital Chancerelle, MSF está usando reservatórios de água para atender a comunidade que está acampada no local. Um projeto similar está sendo implementado perto do jardim de infância Mickey.

Leia mais sobre