Você está aqui

MSF deseja continuar atividades no Níger

30/07/2008
Governo baixou um decreto sem justificativas que determina a suspensão das atividades da organização no país

No dia 22 de julho, a seção francesa da organização humanitária médica internacional Médicos Sem Fronteiras(MSF) foi informada de que um decreto foi emitido pelo Ministro do Interior do Níger, Albade Abouba, suspendendo suas autorizações de trabalho no país. MSF não foi informado das razões que justificam essa decisão. Após o decreto, a organização buscou conversar com as autoridades nigerianas para que a situação fosse esclarecida.

"MSF deseja continuar a trabalhar em acordo com as autoridades do Níger para que suas atividades médicas possam continuar", disse a Drª. Marie-Pierre Allie, presidente de MSF-França. "Nós estamos procurando fazer uma reunião com a presidência do Níger, assim como com os ministros para tentar corrigir esta situação".

Na região de Maradi, equipes de MSF estão colaborando com autoridades nigerianas para encontrar soluções que assegurem o tratamento médico de pacientes em estado crítico. Em cooperação com o Governo do Níger, MSF desenvolveu novas estratégias de tratamento de desnutrição aguda durante os últimos anos.

Desde o começo do ano, MSF tratou de mais de 14 mil crianças severamento desnutridas. Neste momento, a organização está tratando mais de 3,4 mil crianças, incluindo 233 que estão hospitalizadas em centros de nutrição. Mais de 70 mil crianças recebem uma distribuição mensal de suplementos nutritivos de MSF. MSF também apóia os departamentos de maternidade de dois centros de saúde em duas cidades de Agadez.

Após as declarações do Ministério de Relações Internacionais da França, no dia 25 de julho deste ano, na qual o governo francês disse que estava "extremamente preocupado" com a decisão do governo nigeriano de finalizar as atividades de Médicos Sem Fronteiras, a organização quer reiterar sua independência em relação a todos os poderes políticos.