Você está aqui

MSF comemora dois anos salvando a vida de feridos de guerra sírios na Jordânia

15/10/2015
Desde o início do projeto, foram realizadas mais de 2.900 intervenções cirúrgicas em vítimas do conflito na Síria

Foto: Ton Koene

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) comemorou, no dia 29 de setembro, o segundo aniversário de seu projeto de cirurgia emergencial de trauma, que oferece tratamento médico de qualidade a pacientes sírios feridos de guerra no hospital governamental de Al-Ramtha, no distrito de Ramtha, no norte da Jordânia.

Desde setembro de 2013, mais de 1.850 feridos de guerra sírios chegaram à sala de emergência do hospital de Al-Ramtha. Desses, 75% sofriam de traumas múltiplos resultantes de ferimentos por estilhaços, e mais de 2.900 intervenções cirúrgicas foram realizadas. No total, 864 pacientes foram admitidos no programa cirúrgico mantido por MSF no hospital. Além disso, em 2015, 20% dos pacientes tratados por MSF na sala de emergência eram crianças.

“Esse programa permitiu que sírios com as mais urgentes necessidades de tratamento médico recebessem cuidados qualificados e seguros em Ramtha, aos quais eles não poderiam ter acesso em seu país de origem hoje devastado”, disse Luis Eguiluz, coordenador-geral de MSF na Jordânia. Cuidados gerais de internação, fisioterapia e apoio de saúde mental são parte integral dos serviços médicos oferecidos por MSF para feridos de guerra sírios.
“Por vezes, as lesões levam a deficiências permanentes, e os ferimentos podem levar meses para curar; e é por isso que nosso programa também inclui componentes pós-operatórios para recuperação e reabilitação”, explicou Luis Eguiluz.

Ala de MSF no hospital do Ministério de Saúde em RamthaEm março de 2014, MSF inaugurou uma unidade de cuidados pós-operatórios no campo de refugiados de Zaatari, na província de Mafraq, o maior acampamento desse tipo na Jordânia. Com capacidade para 40 leitos, essa instalação oferece cuidados de recuperação e reabilitação para pacientes após intervenções cirúrgicas a que foram submetidos no Ramtha ou em outros hospitais na Jordânia. Em 2015, 133 pacientes receberam tratamento médico na instalação, e cerca de 400 sessões de apoio psicossocial foram conduzidas.

“Eu desejo que, nos próximos anos, a Jordânia continue mostrando sua generosidade para com feridos, crianças, mulheres e homens que estão em extrema necessidade de atenção médica que salva vidas, e que não têm chances de sobreviver a não ser que sejam evacuados para a Jordânia. Espero que possamos ver um fim próximo desse conflito terrível, e que, ao mesmo tempo, o Reino continue a conceder o acesso dos mais vulneráveis ao nosso programa”, acrescentou Luis Eguiluz.

Desde que o conflito na Síria se iniciou, mais de quatro milhões de sírios buscaram refúgio em países vizinhos, incluindo a Jordânia. Médicos Sem Fronteiras (MSF) está presente na Jordânia desde agosto de 2006 com um programa de cirurgia reconstrutiva localizado em Amã. Desde 2013, a organização tem trabalhado para apoiar refugiados e pacientes por meio do programa de cirurgia emergencial de trauma de Al-Ramtha, assim como de um hospital materno-infantil, e de duas clínicas de doenças não transmissíveis em Irbid para apoiar refugiados sírios em comunidades que os abrigaram, assim como a jordanianos vulneráveis.
 

Leia mais sobre