Você está aqui

MSF apoia resposta à COVID-19 em Camarões

15/04/2020
O surto do novo coronavírus representa um desafio adicional para um país marcado pela violência nas regiões do extremo norte, noroeste e sudoeste
MSF apoia resposta à COVID-19 em Camarões

Foto: Freida Nemkul/MSF

No meio da pandemia global de COVID-19, Camarões emergiu com um dos maiores números de casos confirmados do novo coronavírus na África subsaariana. Desde que a primeira pessoa foi confirmada com a doença, no início de março, o número de infecções subiu rapidamente, atingindo mais de 850 casos confirmados em meados de abril.
 
O surto de COVID-19 está se espalhando enquanto o país já enfrenta grandes desafios humanitários. Há anos, Camarões é afetado pelo conflito no nordeste da Nigéria e pela contínua violência nas regiões noroeste e sudoeste. Essas crises levaram ao deslocamento de centenas de milhares de pessoas, aumentaram as necessidades humanitárias e reduziram drasticamente o acesso a cuidados de saúde nessas regiões, cujas populações se tornaram particularmente vulneráveis.

Continuação e adaptação de nossas atividades médicas

“Dar seguimento às nossas atividades médicas nessas áreas já marcadas por enormes necessidades de saúde é uma prioridade absoluta para MSF”, explica Albert Viñas, coordenador de emergência de Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Camarões. “O atual surto de COVID-19 não deve ofuscar a terrível situação humanitária nas regiões do extremo norte, noroeste e sudoeste. Mas a disseminação do novo coronavírus significa, obviamente, que tivemos que adaptar nossos projetos, manter atividades essenciais para salvar vidas e estabelecer novas atividades”.

Como em muitos outros países do mundo atualmente, MSF está apoiando a resposta nacional à pandemia da COVID-19 em Camarões. Nossas equipes estão ampliando a capacidade hospitalar para gerenciar e cuidar de pacientes afetados pelo novo coronavírus, incluindo o reforço de medidas de prevenção e controle de infecções e a criação de enfermarias de isolamento.

“Em Camarões, como na maioria dos outros países africanos, esse apoio é essencial, pois a capacidade médica de lidar com a COVID-19 será muito limitada se o país estiver sobrecarregado com casos graves, semelhante ao que vemos hoje na Europa ou América do Norte”, continua Viñas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, há menos de 5 mil leitos disponíveis para uso em UTIs em 43 países africanos. São cerca de cinco leitos para um milhão de pessoas, em comparação com 4 mil leitos para um milhão de pessoas na Europa. Menos de 2 mil ventiladores funcionais estão disponíveis nos serviços públicos de saúde em 41 países africanos.

"Também enfrentamos o risco de a equipe médica e os profissionais da linha de frente serem seriamente afetados pela pandemia", diz Viñas. "É essencial protegê-los e garantir fluxo seguro de pacientes, triagem e medidas de prevenção e controle de infecções em instalações médicas dedicadas".

Experiência com surtos em Camarões

Desde que chegou ao país, há mais de 30 anos, MSF lutou contra vários surtos de doenças infecciosas, como HIV/Aids, úlcera de Buruli, sarampo e cólera. No início deste ano, respondemos a um surto de cólera na península de Bakassi, no sudoeste do país, vacinando aproximadamente 40 mil pessoas.

As autoridades de saúde de Camarões pediram a MSF que apoiasse a resposta nacional à pandemia da COVID-19 e agora estamos realizando atividades específicas em regiões onde já atuávamos, bem como em Yaoundé, capital do Camarões.

Nossas atividades em resposta à pandemia de COVID-19 em Camarões até agora incluem:

Na cidade Yaoundé

●    MSF está apoiando o Hospital Geral na triagem, na gestão do fluxo de pacientes e em medidas de prevenção e controle de infecções.
●    Também ampliaremos a capacidade da unidade de saúde de Djongolo, para 54 leitos para pacientes de COVID-19. Iniciamos também a construção de quatro alas com 20 leitos.

Nas regiões noroeste e sudoeste

●    MSF está apoiando os hospitais regionais de Bamenda e Buea no tratamento de pacientes de COVID-19. Instalamos pontos de pré-triagem na entrada dessas instalações, apoiamos a instalação de alas de isolamento e tratamento específicas para COVID-19 (com capacidade de 16 e 20 leitos, respectivamente) e treinamos médicos e profissionais não-médicos que administrarão as unidades.  
●    MSF também fortaleceu medidas de prevenção e controle de infecções para impedir a disseminação do novo coronavírus nas unidades de saúde que apoiamos em Bamenda, Kumba, Muyuka, Mamfe e Widikum.
●    Os procedimentos para o nosso serviço de ambulância foram adaptados. Os operadores de call center foram treinados para reconhecer casos suspeitos, fazer contato com as autoridades e agir em conformidade. Enfermeiros e motoristas de ambulância receberam treinamento e equipamentos especiais, e veículos específicos foram selecionados para o transporte de pessoas suspeitas de COVID-19.

No extremo norte

●    Os fluxos de pacientes e as medidas de prevenção e controle de infecções foram adaptados no hospital regional de Maroua e no hospital Mora, onde estamos presentes desde 2015.

“Além de todas essas atividades, também estamos avaliando a possibilidade de oferecermos suporte técnico para hospitais em Douala, que é o centro comercial de Camarões e a segunda cidade mais afetada”, diz Viñas. “Todas essas atividades exigem meios, equipes e materiais extras, diante de uma situação em que os movimentos globais de pessoas e bens são muito, muito difíceis. Mas nossas equipes estão trabalhando o tempo todo para manter nossas atividades regulares que salvam vidas, enquanto respondem a esse novo surto.”

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar