Você está aqui

Milhares de vidas estarão em jogo caso a fronteira entre Síria e Curdistão iraquiano seja fechada

29/10/2017
O ponto de passagem de Feshkhabour é a única opção para organizações humanitárias enviarem suprimentos e profissionais para o nordeste da Síria.
Fronteira entre Síria e Curdistão iraquiano

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) está extremamente preocupada com a oferta de ajuda humanitária à população do nordeste da Síria devido a confrontos entre forças curdas e iraquianas no noroeste do Iraque que estão ameaçando o fechamento da fronteira de Feshhabour, entre Síria e Curdistão iraquiano.

O ponto de passagem de Feshkhabour é a única opção para organizações humanitárias enviarem suprimentos e profissionais para o nordeste da Síria.

Já é extremamente complicado tentar oferecer assistência no nordeste da Síria, onde grande parte das cidades foram destruídas por confrontos e ataques aéreos e onde quase 500 mil pessoas tiveram de deixar suas casas e hoje vivem em condições precárias. Se a fronteira entre Síria e Iraque for fechada para o envio de ajuda humanitária, as milhões de pessoas já em situação vulnerável não terão mais acesso a cuidados médicos vitais em Menbij, Tal Abyad, Tabqa, Kobane/Ain Al Arab, Hassaka e Raqqa.

MSF faz um apelo a todas as partes do conflito para que garantam o acesso contínuo, sem interrupções ou limitações, de ajuda humanitária por meio das fronteiras.

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar