Você está aqui

Líbia: “Isso pode não ajudar, mas certamente terá um impacto sobre você”

19/11/2021
Por Hatam, médico de MSF que atuou oferecendo cuidados a migrantes e refugiados em Trípoli, na Líbia.
Foto por: Maya Abu Ata/MSF

Em Trípoli, as clínicas móveis de Médicos Sem Fronteiras (MSF) oferecem assistência médica a comunidades vulneráveis de migrantes e refugiados que vivem em condições de instabilidade e insegurança. O médico de MSF, Hatam, faz parte da equipe e compartilha sua experiência:

“Saímos do escritório todas as manhãs para administrar nossas clínicas móveis nas áreas urbanas de Trípoli, na Líbia. Nossa equipe se apressa para carregar as vans com suprimentos médicos e medicamentos para os nossos pacientes. Para mim, é lindo ver esses esforços coletivos e sentir a harmonia entre os membros da equipe que trabalham juntos com o único propósito de prestar cuidados. Quando chegamos ao local onde montamos nossa clínica móvel, ver as pessoas esperando por nós para fazer um exame médico - exatamente como esperávamos vê-las - me encheu de felicidade e alívio.

Acompanhamento

Eu trabalho principalmente com pacientes que sofreram lesões traumáticas; aplico os pontos ou faço um molde de gesso para seus membros fraturados. Eu os vejo várias vezes em diferentes sessões clínicas para monitorar seu progresso e fornecer cuidados de acompanhamento. Poder testemunhar diretamente a melhora em seu estado, ver suas feridas sararem, vê-las recuperar a mobilidade e a funcionalidade que tinham antes de sua lesão, ver sua satisfação, tudo isso me traz alegria. Esta é uma das coisas que me motivam a ir trabalhar todos os dias.

Em várias ocasiões, quando eu prescrevia uma receita para um paciente, me perguntavam: "Onde posso obter este medicamento?" Quando os encaminho para a minha colega enfermeira, que está ao meu lado, a pessoa sorri de alívio. Eles não precisam ir a uma farmácia privada para pagar um medicamento de que necessitam. Isso também me enche de alegria.

Mudando

A pessoa que sou hoje é completamente diferente de quem eu era antes de entrar em MSF. O Hatem que eu era não sabia sobre as necessidades específicas dos migrantes e refugiados que vemos na Líbia ou sobre suas condições de vida e circunstâncias. Isso mudou definitivamente minha perspectiva em relação a essas pessoas e as que necessitam de cuidados médicos em particular. Agora que tenho muito mais conhecimento sobre seus contextos, posso falar sobre suas necessidades, sofrimentos e encorajar outras pessoas a não julgá-los previamente ou tratá-los injustamente.

Viagens perigosas

Fiquei muito emocionado ao saber que as pessoas que conhecemos por meio do trabalho foram forçadas a deixar sua terra natal, suas famílias e seus entes queridos para encontrar uma vida melhor. Quando você entende o que eles passaram para conseguir isso, os riscos que enfrentam em suas viagens difíceis e perigosas à Líbia, a provação que enfrentaram nos centros de detenção e no mar, isso pode não ajudar, mas certamente terá um impacto sobre você”.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar