Você está aqui

Iêmen: MSF retoma atividades no hospital de Haydan

02/03/2017
Organização havia retirado suas equipes do norte do país há seis meses por causa de bombardeios contra instalações médicas
Iêmen: MSF retoma atividades no hospital de Haydan

Foto: Natalie Roberts/MSF

Seis meses após retirar suas equipes do norte do Iêmen como consequência do bombardeio de seu hospital em Abs, a organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) retomou suas atividades no hospital distrital de Haydan, na província de Saada.

Após o ataque aéreo ao hospital de Abs, no dia 15 de agosto de 2016, que matou 19 pessoas e feriu 24, e no rastro de uma série de ataques contra diversas instalações médicas no norte do Iêmen, MSF decidiu retirar a maioria de seus profissionais das províncias de Hajja e Saada. No dia 19 de fevereiro deste ano, uma equipe de MSF voltou a trabalhar no hospital de Haydan. Mais de 200 mil pessoas que vivem nessa região montanhosa dependem do hospital para obter cuidados médicos.

“A situação está piorando a cada dia no Iêmen e a necessidade de cuidados médicos continua aumentando”, diz Ghassan Abou Chaar, representante de MSF no Iêmen. “O outro hospital mais próximo fica a duas horas de carro de Haydan, mas, com a escassez de combustível, as pessoas enfrentam muita dificuldade para chegar até lá.”

Antes de sua retirada do hospital de Haydan, a equipe de MSF apoiava a emergência, o departamento de internação, a maternidade e o sistema de encaminhamento médico, assim como fornecia suporte logístico. Agora, MSF irá retomar suas atividades anteriores e ampliar seu apoio ao departamento de internação.

Ao longo dos últimos dois anos, um grande número de instalações de saúde no Iêmen foi atingido por ataques aéreos, incluindo o próprio hospital de Haydan, que foi bombardeado no dia 26 de outubro de 2015, ferindo um membro da equipe. Esses ataques contínuos prejudicam ainda mais um sistema de saúde já enfraquecido, enquanto a população está cada vez mais receosa de visitar hospitais, com medo de ser atingida.

“A retomada do nosso trabalho no hospital de Haydan, bem como naquela região, foi informada a todas as partes do conflito, e esperamos que elas respeitem sua integridade”, diz Ghassan Abou Chaar. “A população do Iêmen precisa ter seu acesso a hospitais e a outros serviços de saúde garantido.”

MSF atua em 12 hospitais e centros de saúde no Iêmen e oferece apoio a outras 18 instalações em dez províncias: Taiz, Aden, Al-Dhale, Saada, Amran, Hajjah, Ibb, Hodaida, Abyan e Sanaa.

Leia mais sobre