Você está aqui

Iêmen: MSF recebe 100 feridos em um dia após bombardeio de áreas residenciais em Aden

11/06/2015
Civis estão sem acesso a serviços e itens essenciais como medicamentos e alimentos

Foto: Benoit Finck/MSF

Mais de 100 feridos, incluindo mulheres e crianças, foram recebidos ontem pela organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) em Aden, no Iêmen, como resultado de um forte bombardeio na área residencial de Al-Basateen na cidade.

Desde 19 de março, MSF já tratou mais de 2.500 feridos no Iêmen. Desses, mais de 1.800 foram apenas em Aden. A situação no sul da cidade está se deteriorando  e as equipes de MSF estão impossibilitadas de se locomoverem ao redor de Aden para oferecer cuidados de saúde aos feridos. Muitos pacientes estão impossibilitados de acessar hospitais.

“Nas últimas 36 horas, nós recebemos mais de 130 feridos, principalmente de Al-Basateen, depois que a área residencial foi bombardeada, incluindo um ataque a um funeral na região”, disse Thierry Goffeau, coordenador do projeto de MSF em Aden. “Os hospitais em Aden estão lotados, alguns estão colocando colchões na frente de seus portões de entrada para acomodar pacientes. Confrontos e ataques aéreos diários ainda são pesados, e estamos preocupados com os pacientes que não conseguem ter acesso a cuidados, enquanto os pacientes que já estão em hospitais estão com muito medo de sair dali.”

MSF está administrando de forma independente um hospital de cirurgia de emergência dentro do complexo hospitalar de Al-Sadaga, no distrito de Sheikh Othman, em Aden. A organização também está apoiando o centro de saúde de Crater e realizando cirurgias ambulatoriais por meio de clínicas móveis para pacientes que não podem ter acesso ao hospital de MSF. Mas, se locomover para diferentes partes da cidade é extremamente difícil.

“Em muitas ocasiões, nossas equipes foram impedidas de se locomover dentro da cidade e de receber carregamentos de ajuda médica do porto”, disse Thierry Goffeau. “Nós precisamos ter livre acesso para conseguirmos oferecer cuidados médicos àqueles que precisam.”

Uma cidade sitiada

Os civis em Aden não estão sofrendo só devido ao conflito, mas também com a falta de acesso a serviços e itens essenciais e por estarem cercados por frentes de batalha.

“Há escassez de alimentos, gás de cozinha, combustíveis e medicamentos”, disse Hassan Boucenine, coordenador-geral de MSF no Iêmen. “O sistema de saúde está entrando em colapso. Pacientes com doenças crônicas não conseguem obter seus medicamentos, há corpos nas ruas, e a cidade é um lixão a céu aberto, com lixos cobrindo as ruas.”

“É extremamente importante levantar o bloqueio de alimentos e medicamentos e estabelecer canais desobstruídos pelo ar, mar e terra, para atender a população com o que ela precisa para sobreviver”, disse Hassan Boucenine.

Estruturas médicas sob fogo

Nesta manhã, bombas caíram muito próximo ao hospital de MSF em Aden, e, ontem, uma bomba caiu a 30 metros de um profissional de MSF enquanto ele estava fora da cidade. O hospital de MSF tem sido alvo de inúmeros tiroteios e estilhaços de bala caíram no pátio do hospital.

Em Taiz, na noite passada, três bombas caíram nas proximidades de um hospital apoiado por MSF, danificando partes da instalação do hospital.

Civis sofrendo

Outras incidências de mortes de civis e danos a estruturas civis foram registrados recentemente como resultado de ataques aéreos e bombardeios em áreas densamente povoadas em Sanaa, Hodeidah, Taiz, Saada, Amran, Ad-Dhale e em outros lugares.

Em Taiz, 57 feridos foram tratados ontem em um hospital apoiado por MSF, incluindo um menino de seis anos que sofreu um ferimento na cabeça devido a uma bomba que caiu fora de sua casa enquanto ele brincava. Enquanto isso, ao longo da semana passada, a equipe de MSF em Saada recebeu três ondas de mortes em massa, com 137 feridos e 17 mortes na chegada, incluindo civis.

“É totalmente inaceitável que bombas de todos os lados do conflito sejam direcionadas a áreas onde há uma concentração de civis”, disse Hassan Boucenine. “Nós pedimos a todas as partes que respeitem a segurança dos civis e a neutralidade de instalações e profissionais médicos, e que permitam que a população tenha livre acesso a assistência médica. Esperamos que esse pedido tenha uma consideração importante nas próximas negociações de paz.”

MSF é uma organização médica internacional neutra que oferece cuidados de saúde em cerca de 70 países de acordo com a ética médica. No Iêmen, MSF atua nas províncias de Aden, Sanaa, Ad-Dhale, Amran, Saada, Taiz e Hajja. MSF é uma organização independente que recebe doações de indivíduos ao redor do mundo.

Leia mais sobre