Você está aqui

Haiti: avaliação das necessidades médicas no rastro do furacão Matthew

08/10/2016
Quatro equipes de MSF oferecem cuidados básicos de saúde, fornecem suprimentos médicos e avaliam instalações de saúde em cinco regiões do país

Foto: Andrew McConnell/Panos Pictures

Na sequência do furacão Matthew, que atingiu o Haiti em 4 de outubro, quatro equipes da organização internacional humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) estão avaliando as necessidades nas instalações médicas e comunidades afetadas em cinco províncias do país: Grande Anse, Sud, Nippes, Artibonite e Nord-Ouest.

O acesso às áreas afetadas é difícil e a escala total, assim como a natureza das necessidades, ainda precisam ser determinadas. Autoridades haitianas relatam um número de mortos na casa de centenas que continua aumentando. O risco de cólera é muito alto nas áreas afetadas.

Equipes de MSF viajaram de helicóptero e pelas estradas até a província de Sud e observaram extensa destruição de casas e comunidades ao longo da costa entre Tiburon e Port-à-Piment.

Pessoas estão começando a chegar a hospitais locais, muitas com ferimentos nos pés e pernas que estão começando a infeccionar. A equipe de MSF ofereceu primeiros socorros para feridos do furacão e forneceu suprimentos médicos para tratar feridos no Hospital Geral de Les Cayes. O hospital está esperando receber um crescente número de pacientes nos próximos dias.

Depois de sobrevoar e ver a destruição em Grande Anse, uma equipe de MSF está tentando alcançar as áreas da costa nesta manhã (horário local), se o acesso por estrada for possível.

Uma equipe de MSF chegou à província de Nippes na noite passada e começou a avaliar as necessidades, oferecendo cuidados médicos básicos e resposta à cólera quando necessário.  

Outra equipe de MSF está na estrada a caminho das províncias de Artibonite e Nord-Ouest para avaliar as instalações de saúde existentes, com foco nas necessidades relacionadas à água, saneamento e deslocamento.

MSF tem atualmente 26 profissionais envolvidos na avaliação das necessidades no Haiti. Além disso, MSF mantém seis projetos na região metropolitana de Porto Príncipe: unidade especializada em queimaduras no hospital Drouillard, Hospital de Trauma em Tabarre, o Centro de Emergência Martissant 25, o Hospital Cirúrgico de Emergência Nap Kenbe, o Centro de Referência de Urgência e Obstetrícia e a Clínica Pran Men’m para sobreviventes de violência sexual e de gênero. MSF também apoia o centro Diquini para pacientes com cólera e tem um centro de tratamento de cólera com capacidade para operar em poucas horas.

Leia mais sobre