Você está aqui

Haiti: Aumenta atendimento de saúde mental

01/02/2010
Equipes de MSF observaram aumento de casos de diarreia entre crianças, além de alguns pacientes com tétano e desnutrição

As unidades de emergência de Médicos Sem Fronteiras (MSF) no Haiti ainda estão atendendo um grande número de pacientes, mas a natureza de seus ferimentos ou estado de saúde está mudando gradualmente. Há menos pessoas com ferimentos diretamente ligados ao terremoto, mas agora a conseqüência indireta na saúde das pessoas está mais aparente, uma vez que o número de crianças com diarreia está aumentando e mais pessoas estão chegando para tratar sintomas físicos de traumas mentais.

Há também alguns casos de tétano. Os centros cirúrgicos continuam em alta atividade, com duas equipes em Leogane realizando 30 operações por dia, assim como o novo Hospital de Carrefour, enquanto o hospital inflável em St Louis ainda está trabalhando nos casos de fraturas compostas, e os centros cirúrgicos em Choscal estão lidando com ferimentos a balas e vítimas de acidentes de carros, entre outras coisas.

As necessidades urgentes por atendimento pós-operatório e de espaço para oferecê-lo levaram a vários aprimoramentos. As unidades agora estão prontas para receber pacientes. Em Delmas 30, há capacidade de cem leitos. Em Bicentaire, 60 leitos estão prontos debaixo das tendas e o Lycee, em Porto Príncipe, vai começar a funcionar a partir desta segunda-feira. Há uma certa preocupação que os pacientes atendidos por MSF não apareçam para receber o tratamento de longa duração que precisam e MSF está começando a procurar ativamente por esses casos na cidade.

Há alguns casos de crianças que precisam de alimentação terapêutica nos hospitais de MSF, apesar de ainda não estar claro que sejam resultado de problemas nutricionais mais gerais. O impacto do desastre na saúde mental de muitas pessoas está levando MSF a estender seu trabalho nessa direção. As clínicas móveis que funcionam em Porto Príncipe têm recebido cerca de 140 pessoas por dia e têm agora um especialista em saúde mental na equipe, assim como os postos de consulta nas cidades de Dufour e Darbon. Em Leogane, cerca de 20% das consultas são relacionadas à saúde mental.

O trabalho com água e saneamento também está aumentando. Em vários locais onde MSF montou unidades de saúde, a comunidade local está recebendo ajuda com esses serviços vitais. No acampamento Grace Internacional, MSF está abastecendo um reservatório de água para 15 mil pessoas. Em Jacmel, há latrinas, chuveiros e suprimentos de água, assim como perto do Hospital St Louis e em Leogane. A equipe lá está estudando os próximos passos para oferecer esses serviços a acampamentos menores ao longo das estradas fora da cidade.

Leia mais sobre