Você está aqui

Haiti: Atendimento muda foco para acompanhar as necessidades

24/01/2010
Equipes se desdobram para dar conta de casos de emergência, de feridos infeccionados, doentes crônicos, partos e cuidados de saúde primários

O atendimento de emergência que as equipes de Médicos Sem Fronteiras (MSF) estão realizando no Haiti está começando a mudar de ênfase para os novos níveis de necessidades da população local. Em algumas partes de Porto Príncipe, as equipes começaram a transferir para seus hospitais os pacientes que tiveram infecções ou complicações devido a tentativas básicas ou não especializadas realizadas nos primeiros dias após o terremoto. A pressão por atendimentos médicos não diminuiu, no entanto. A questão agora é como absorver o crescente número de pacientes que precisam de atendimento pós-operatório, assim como dos que têm doenças crônicas, que estão em trabalho de parto ou necessitam de cuidados primários de saúde.

Ao mesmo tempo, as equipes de MSF ainda estão lidando com muito casos de pacientes precisando de cirurgia. No Hospital Chancerelle, o segundo centro cirúrgico está sendo restaurado e preparado para funcionar. No Hospital Choscal, o centro cirúrgico tem recebido emergências obstétricas e alguns pacientes com ferimentos a bala e por machete. Na cidade de Les Cayes, MSF começava a oferecer apoio ao hospital e a operar, quando recebeu 150 pessoas gravemente feridas que haviam sido transferidas da capital para lá, de alguma forma. O hospital inflável de MSF em Porto Príncipe está sendo preparado para realizar suas primeiras cirurgias nessa segunda-feira. Outros 80 pacientes estão sendo transferidos do Hospital Trinité para se juntar aos cem de Pacot que estão nas tendas infláveis. Em um hospital de campanha de MSF, ao lado do Hospital de Carrefour, cerca de 40 pessoas foram operadas, 60 foram internadas e 350 consultas foram realizadas.

As consequências psicológicas da catástrofe também estão se tornando mais claras. MSF tem uma experiência significante em saúde mental em áreas de desastres e tem especialistas no Haiti que têm trabalhado em seus hospitais e com equipes da organização que já estavam no país quando houve o tremor e que sofreram trauma devido aos eventos.

Outra necessidade emergente é por suprimentos básicos para ajudar as famílias a lidar com a destruição de seus lares e pertences. MSF está começando a distribuir kits, o que inclui cobertores, sabonete e utensílios de cozinha para as famílias da cidade de Jacmel. As equipes devem aumentar essas doações em outros lugares e hoje devem realizar a primeira entrega desses kits, que vão chegar por barco a Porto Príncipe. A carga total que deve ser enviada para a capital nas próximas semanas, por todos os meios de transporte, é de 20 mil kits contendo esses itens vitais.

Leia mais sobre